06/07/2018

Almoço do SindSeg discute cenário do seguro no Rio Grande do Sul

  entidade sindical reúne operadores do mercado, em porto alegre o mercado gaúcho de seguros reúne-se há 70 anos em almoços mensais organizados pelo sindicato das seguradoras do rio grande do sul (sindseg/rs). nesta quinta-feira (28), porto alegre seria palco de palestra com o superintendente da superintendência de seguros privados (susep), joaquim mendanha. no entanto, imprevistos impediram que isso acontecesse. os operadores do seguro no rio grande do sul aproveitaram o momento para debater diversas questões do cenário segurador no rio grande do sul. a discussão veio em momento oportuno, afinal, o legislativo estadual segue com os trabalhos da cpi das seguradoras veiculares. conforme noticiado por jrs, a comissão parlamentar de inquérito apura a existência de um cartel de oficinas, criado, supostamente, para controlar o mercado. é apurado ainda o uso de peças não autorizadas e o fomento à criminalidade através da venda de sucatas e veículos salvados em leilões. também será investigado crime contra a ordem tributária por circulação de mercadorias.
06/07/2018

Em proposta encaminhada à Susep, Seguradora Líder sugere aumento de 85% no valor da indenização do Seguro DPVAT

 a seguradora líder encaminhou à susep uma proposta com 19 temas para o aperfeiçoamento do atual modelo de operação do seguro dpvat. o relatório, elaborado pela companhia em conjunto com a confederação nacional das seguradoras (cnseg) e a federação nacional de seguros gerais (fenseg) e realizado com o apoio de consultoria internacional, analisou os modelos de seguros de acidentes de trânsito adotados em 36 países. um dos principais pontos do documento é a sugestão de reajuste da ordem de 85,1% da importância segurada (is) que, de acordo com a companhia, não sofre reajustes há 11 anos. o valor da is brasileira é inferior aos dos países apresentados no relatório, como indonésia, nigéria e bolívia. a proposta da seguradora líder é que a indenização máxima seja aumentada de r$ 13.500 para r$ 25.000, nos casos de morte ou invalidez permanente das vítimas de acidentes no trânsito. segundo o diretor-presidente da seguradora líder, ismar tôrres, o debate sobre o aprimoramento do modelo de operação e gestão atual do seguro dpvat começou no segundo semestre de 2017. a intenção era alinhavar um projeto consistente, independente e inovador do seguro dpvat, que reflita efetivamente as necessidades do conjunto da população. “a cnseg e a fenseg participaram deste trabalho, manifestando integral concordância com os resultados, posicionamentos e com a proposta apresentada pela seguradora líder, subscrevendo o material enviado à susep em maio”, afirma o executivo. fonte: cqcs
06/07/2018

Sincor-RJ realiza 1º Encontro dos Corretores de Seguros da Zona Oeste do Rio de Janeiro

 o sindicato promove o 1º encontro dos corretores de seguros da zona oeste, no dia 15 de agosto, às 9 horas, no hotel windsor marapendi, na barra da tijuca. com o tema “segurador, o que a sua seguradora está fazendo pelo corretor de seguros?”. o evento conta com a presença dos principais players ligados ao setor e com o suporte das seguradoras, com objetivo de ampliar o relacionamento entre os executivos e a categoria. de acordo com o presidente do sincor-rj, henrique brandão, fazer o primeiro encontro para os corretores de zona oeste com as seguradoras, é uma oportunidade de ampliar a ligação entre os seguradores e os parceiros de negócios. “os corretores terão a oportunidade de compreender o papel das seguradoras, frente aos novos desafios que a profissão proporciona. o sincor-rj sabe que a categoria precisa conviver e articular da melhor maneira possível com os membros atuantes das seguradoras. e nós estamos dispostos a dar suporte para que os corretores possam prolongar a sua relação com as companhias de seguros”, explicou brandão. a participação do 1º encontro dos corretores de seguros da zona oeste do rio de janeiro é gratuita. as inscrições podem ser feitas através do site www.sincor-rj.org.br ou através do telefone (21) 3505-5900. as vagas são limitadas. serviço: 1º encontro dos corretores de seguros da zona oeste do rio de janeiro data: 15 de agosto de 2018 horário: a partir das 9 horas. local: hotel windsor marapendi endereço: avenida lúcio costa, 5400, barra da tijuca – rio de janeiro. inscrições: www.sincor-rj.org.br ou pelo telefone (21) 3505-5900. fonte: portal nacional de seguros por karem soares
06/07/2018

Portarias da Susep aprovam deliberações de cias

 eleições de administradores e aprovação de aporte de capital são os destaques dos normativos a diretoria de organização do sistema de seguros privados da susep publicou portarias que ratificam deliberações de seguradoras. na bamércio s.a. previdência privada, cnpj n. 50.662.436/0001-14, com sede na cidade de são paulo - sp, a autarquia aprovou o aumento do capital social no montante de r$ 4.999.972,00, para r$ 20.000.000,00, dividido em 20.000.000 de ações ordinárias nominativas, com valor nominal; e reforma do estatuto social. na companhia excelsior de seguros, cnpj n. 33.054.826/0001-92, com sede na cidade de recife - pe, a portaria da susep aprovou a eleição de administrador da seguradora. também foram ratificadas eleições de administradores da qbe brasil seguros s.a., cnpj n. 96.348.677/0001-94, com sede na cidade de são paulo – sp; da seguros sura s.a., cnpj n. 33.065.699/0001-27, com sede na cidade de são paulo; e da allianz seguros s.a., cnpj n. 61.573.796/0001-66, com sede na cidade de são paulo – sp. fonte: portal nacional de seguros
06/07/2018

Juros futuros ampliam queda na esteira da desaceleração do dólar

 as taxas futuras de juros ampliaram o ajuste de queda na esteira da desaceleração do dólar ante o real. os ativos reagem à divulgação do relatório oficial do mercado de trabalho dos estados unidos, o payroll, que mostrou nesta sexta-feira (6) que a economia norte-americana criou 213 mil postos de trabalho em junho, mais do que a previsão de geração de 195 mil vagas no período. no entanto, a taxa de desemprego subiu a 4,0%, contrariando expectativa de manutenção em 3,8%. além disso, o salário médio por hora teve incremento de apenas 0,19% em junho ante maio, menos que a previsão de alta de 0,30%. às 10h02min, o contrato de depósito interfinanceiro (di) com vencimento em janeiro de 2019 exibia 6,890%, de 6,914% no ajuste de quinta-feira. o di para janeiro de 2020 estava em 8,36%, de 8,44%. o di para janeiro de 2021 apontava 9,34%, de 9,41%, e o di para janeiro de 2023 marcava 10,70%, de 10,77%. o dólar à vista subia 0,36%, aos r$ 3,9446. o dólar futuro de agosto avançava 0,27%, aos r$ 3,9535. antes da divulgação dos dados de empregos dos eua, os juros futuros já mostravam um viés de baixa, uma vez que a alta de 1,26% do ipca de junho ficou levemente abaixo da mediana das projeções (+1,28%) e dentro do intervalo das estimativas dos analistas (1,02% a 1,37%). a taxa acumulada pela inflação no ano foi de 2,60%. em 12 meses, o ipca acumulou alta de 4,39%, dentro das projeções dos analistas, que iam de 4,14% a 4,50%, e abaixo da mediana de 4,41%. na quinta-feira (5) a secretaria do tesouro nacional divulgou o cancelamento dos leilões tradicionais de venda de notas do tesouro nacional - série f (ntn-f) previstos para os dias 12, 19 e 26 de julho. no comunicado, o órgão informou que permanecem mantidos os leilões tradicionais de letras do tesouro nacional (ltn) e notas do tesouro nacional - série b (ntn-b). no entanto, ressalva o documento, o tesouro se reserva o direito de suspendê-los, a depender das condições de mercado. os leilões de letras financeiras do tesouro (lft) estão confirmados, diz o texto.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/636996-juros-futuros-ampliam-queda-na-esteira-da-desaceleracao-do-dolar.html)
03/07/2018

Seguradora Líder apresenta propostas de aperfeiçoamento do Seguro DPVAT à SUSEP

 a seguradora líder, em documento conjunto com a confederação nacional das empresas de seguros gerais, previdência privada e vida, saúde suplementar e capitalização (cnseg) e a federação nacional de seguros gerais (fenseg), encaminhou à superintendência de seguros privados (susep) uma proposta com 19 temas para o aperfeiçoamento do atual modelo de operação do seguro dpvat. desde março de 2018, a seguradora integra a comissão especial criada pela susep com o intuito de debater melhorias no atual modelo do seguro obrigatório de acidentes de trânsito do brasil, conforme noticiado na 17a edição da newsletter líder informa . para elaborar as propostas, a seguradora realizou um estudo, com o apoio de consultoria internacional, no qual foram analisados os modelos de seguro de acidentes de trânsito adotados em 36 países. entre as descobertas mais relevantes do estudo, está a comparação do valor das indenizações no brasil com os demais países do mundo. o valor da importância segurada (is) no brasil, congelado há 11 anos, está atrás de países como indonésia, nigéria e bolívia. a rússia possui indenização aproximadamente três vezes superior à do brasil, apesar de o pib per capita ser próximo. a partir deste estudo, foi produzido um relatório que contemplou a compilação de críticas e sugestões sobre o atual sistema do dpvat, levando em consideração fatores como o sistema de governança, o processo regulatório, a forma de gestão das receitas e os valores da is. “a seguradora líder iniciou, no segundo semestre de 2017, uma série de debates sobre oportunidades de aprimoramento do modelo de operação e gestão atual do seguro dpvat, a fim de construir um projeto consistente, independente e inovador do seguro, que reflita efetivamente as necessidades do conjunto da população. a cnseg e a fenseg participaram deste trabalho, manifestando integral concordância com os resultados, posicionamentos e com a proposta apresentada pela seguradora líder, subscrevendo o material enviado à susep em maio", esclarece o diretor-presidente da seguradora líder, ismar tôrres. entre as propostas levadas à susep está a atualização das importâncias seguradas. ou seja: que a indenização máxima no brasil passe de r$ 13.500 para r$ 25.000. os valores das indenizações pagas às vítimas estão sem reajustes há 11 anos e são inferiores aos de todos os países analisados no relatório. confira a ata das últimas reuniões na íntegra e clique aqui (http://www.susep.gov.br/setores-susep/cgsoa/comissoes/arquivos-comissao-especial-2013-novo-modelo-dpvat-portaria-susep-no-7070-2018/modelo%20proposto%20pelos%20representantes%20das%20seguradoras%202.zip) para conferir as 19 proposições arquivadas no site da susep.   fonte: seguradora líder / imagem: freeimages.com
03/07/2018

Tenho 27 anos. Onde investir para ter uma vida financeira saudável?

  especialista responde dúvida de leitora sobre finanças pessoais. envie você também sua pergunta pergunta da leitora: tenho 27 anos e quero começar a investir. penso que estarei estabilizada financeiramente em um futuro próximo. qual o melhor investimento para ter uma vida financeira saudável e confortável, que me permita viajar de vez em quando, daqui a 15 anos? parabéns por se preocupar em ter uma vida financeira saudável no futuro desde já. é esse foco para alcançar seus objetivos que te levará ao futuro que deseja. imagino que minha resposta será um pouco diferente do que você esperava, mas tenho certeza que vai ampliar sua visão sobre o tema. você pergunta qual o “melhor investimento” para seus objetivos, mas há um problema aí: “o melhor investimento” não existe. quando pensamos em investir, temos em mente o fator rentabilidade. claramente, ele é importante, mas não é previsível, nem é o mais importante na equação. o fator definitivo para você ter uma vida financeira saudável e confortável não é o seu investimento, e sim, o seu comportamento. uma pessoa com hábitos financeiros simples e saudáveis, mas que requerem uma boa dose de disciplina, terá sucesso financeiro. basta não cometer grandes erros. os principais hábitos são: ter sobra em seu orçamento e investir, no mínimo, 10% da sua renda todos os meses. não procurar por investimentos mirabolantes ou o “da moda” – os bons investimentos são “chatos”. analisar seus principais riscos financeiros e elimina-los ou reduzi-los, por meio de seguros. utilizar o mínimo possível de crédito – os juros no brasil fazem isso custar muito caro. ter profissionais de sua confiança para auxilia-la na escolha das ferramentas (investimentos, seguros, previdência, etc) e, se possível, alguém que tenha uma visão holística da sua vida financeira. o melhor dos mundos é você aliar bom comportamento e boas decisões financeiras. receba conselhos para investir, de alguém que evite que você fique comprando e vendendo produtos toda hora e que crie uma carteira para o seu perfil e para os seus objetivos. tenha uma reserva com liquidez, com um valor equivalente a seis meses de despesas. a partir disso, diversifique seus investimentos em outros ativos, por meio de fundos de investimentos diferentes. fundos cambiais podem ajudar a reduzir o risco da variação do dólar para suas viagens internacionais. por fim, um plano de previdência privada pode ser uma boa opção para seus objetivos de longo prazo. comece a elaborar tudo isso desde já, com a ajuda de um profissional de confiança que consiga acompanhar seu andamento e e como você está em relação às suas metas. o importante é se conhecer e controlar suas ações. fonte: exame por valter police, planejador financeiro
03/07/2018

Luiz Osório: Susep desagrada gregos e troianos

  empresário questiona novas normas dos títulos de capitalização para o empresário e acionista da aplub capitalização, a superintendência de seguros privados (susep), desagradou “gregos e troianos” ao editar novas normas para títulos de capitalização, através da circular 569/2018. confira o artigo: “parece piada, mas não é. as sociedades de capitalização, entidades filantrópicas, federação nacional (fenacap) e distribuidores de títulos estão descontentes com a susep. as trapalhadas da área de produtos continuam. chegamos ao ponto em que a fenacap recorreu a confederação nacional das empresas de seguros gerais, previdência privada e vida, saúde suplementar e capitalização (cnseg) com objetivo de intervir junto ao superintendente da susep, dr. joaquim mendanha de ataídes, com vistas a retificar a circular 569 e corrigir nova proposta de circular em consulta pública, diante do cenário de insegurança gerado. a fenacap não está sendo ouvida. as novas regras foram lançadas sem qualquer discussão com o mercado e contrariam também a legislação. cabe lembrar que no final do ano passado, dia 28 de novembro, após compromisso em audiência pública na câmara dos deputados, na comissão de finanças e tributação, a susep assumiu que, previamente, submeteria as novas normas e criaria uma comissão de produtos com os operadores do mercado e deputados. nada do que foi combinado foi cumprido. a susep, mais uma vez, quer cumprir um papel de legislar que não é seu. caso o mercado não seja atendido haverá uma enxurrada de ações judiciais contra a autarquia. conseguiu desagradar à todos!”. o jrs abre espaço aos citados neste artigo para as devidas manifestações, caso desejem. reiteramos que a opinião do articulista não reflete necessariamente nosso posicionamento editorial, cabendo ao mesmo a responsabilidade pela publicação. fonte: jrs
03/07/2018

IPP sobe 2,33% em maio ante alta de 1,58% em abril, revela IBGE

 o índice de preços ao produtor (ipp), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou alta de 2,33% em maio, informou na manhã desta terça-feira (3), o instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge). a taxa de abril foi revisada de uma elevação de 1,56% para avanço de 1,58%. o ipp mede a evolução dos preços de produtos na "porta da fábrica", sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação. com o resultado de maio, o ipp de indústrias de transformação e extrativa acumulou aumento de 5,96% no ano e elevação de 10,45% em 12 meses. considerando apenas a indústria extrativa, houve redução de 4,10% em maio, após o aumento de 4,83% registrado em abril, segundo o ibge. já a indústria de transformação registrou expansão de 2,61% em maio, ante um crescimento de 1,44% no ipp de abril.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/636235-ipp-sobe-2-33-em-maio-ante-alta-de-1-58-em-abril-revela-ibge.html)

Alerta para o Corretor de seguros, segmento oferece grandes oportunidades em 2019


08/02/2019
A comissão de seguro rural do Sincor-SP alerta os corretores lembra que há boas oportunidades no agronegócio. A expectativa é que a produção de carne bovina deve crescer em média de 2,6% ao ano, chegando a 10,8 milhões de toneladas em 2021.

Além disso, há previsão do aumento do consumo da proteína, em termos absolutos no País, com previsão de crescimento de 5,3% no mesmo período.
Diante deste cenário, os produtores brasileiros ganharam importância e ainda mais responsabilidade sobre sua atividade.

Com o seguro rural o pecuarista pode garantir a vida dos animais, que são classificados em duas modalidades, seguro pecuário elite, que incluem os bovinos utilizados para incremento de plantel, seguro para rebanhos comerciais e rebanho de produção de leite e de corte.

Apesar disso, há baixa adesão a esse tipo de proteção por parte dos pecuaristas. De acordo com Karen Matieli, sócia proprietária da Denner Seguro de Animais e Coordenadora da Comissão Rural do Sincor-SP, o setor enfrenta alguns entraves que impedem seu crescimento.

Segundo ela, a falta de informação e divulgação das modalidades de seguros existentes para proteger a pecuária, e a falta de Subvenção Federal como forma de incentivo à contratação do seguro são as principais causas.
Karen ressalta que o potencial do seguro pecuário no Brasil é enorme. “Pensando em abastecer o mundo em alguns anos, precisamos estar protegidos. Toda operação deverá estar pautada com muita segurança, e o instrumento seguro, validará o que o nosso País tem de melhor: o nosso Agronegócio”, destaca.

Expectativa para 2019

Com o início de um novo governo, o setor espera um olhar mais atento a principal ferramenta de mitigação de riscos da agropecuária, que é o seguro rural.
A nova ministra da Agricultura, Tereza Cristina, demonstra interesse em aumentar a área protegida com o seguro, e consequentemente, precisamos estreitar os laços entre pecuaristas e o governo, trazendo a importância de valorizar ainda mais a nossa pecuária, que segue investindo em genética e tecnologia, assumindo seus riscos, sozinha.

Além disso, recentemente o apoio dos Deputados Arnaldo Jardim e Itamar Borges ajudaram na suplementação de recursos no Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP), para o seguro rural.
O assunto voltou à pauta já no início do ano, em reunião onde foi discutido possíveis alterações no programa que enquadra políticas públicas e de incentivos ao agronegócio Paulista, onde a subvenção ao prêmio do seguro rural está inserida.

Parte do custo do seguro rural é subsidiado pelo governo do Estado, incentivando assim agropecuaristas manterem suas atividades protegidas. “Iniciamos o ano já com o planejamento em mãos, afinal de contas, o agro não para.

Estreitamento entre setor produtivo para entender as principais demandas, a busca por novos produtos que amparam os principais riscos da atividade e apoio político para mais recursos aos Programas PSR e FEAP, que fazem parte desta agenda de trabalhos”, finaliza Karen.

Fonte: Cqcs/Sueli Santos com informações do Sincor-SP

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989