17/09/2018

Seguros: vendas estagnadas no acumulado do ano, até julho

 até julho deste ano, as vendas de seguros ficaram estáveis em relação ao mesmo período de 2017. isso significa dizer zero de crescimento. se considerarmos a inflação, de 4,48% acumulada nos últimos doze meses considerando julho passado, a crise chegou ao setor e os números mostram que as vendas estão encolhendo. dados analisados pela consultoria siscorp, com base nos dados estatísticos divulgados pela superintendência de seguros privados (susep), revelam que a arrecadação do setor totalizou r$ 117 bilhões, de janeiro a julho deste ano, considerando-se seguros gerais, de vida e vgbl (sem capitalização, pgbl e saúde). o vgbl, que por anos puxou o crescimento do setor, segue amargando queda de 7% no acumulado dos sete primeiros meses do ano. dpvat também recua 23%, decorrente da redução do preço do seguro determinada pelo conselho nacional de seguros privados (cnsp). já riscos especiais, que contempla seguros sofisticados como de petróleo e nucleares, exibe alta de 108% no período analisado, para r$ 468 milhões. segundo a corretora jlt, esse incremento vem do otimismo com a retomada do segmento de óleo e gás com o anúncio do lucro de r$ 6,9 bilhões da petrobras e também pela arrecadação recorde na 15ª rodada de licitações da agência nacional do petróleo (anp). vale ressaltar também a carteira de automóveis, que depois de quedas sucessivas, segue há três meses sinalizando melhora e exibe avanço de 5% até julho, para r$ 20,5 bilhões. microsseguros, que ainda não rompeu a barreira dos r$ 100 milhões em prêmios, registrou avanço de 47%. outra novidade, além das vendas menores, é o braço segurador do banco do brasil, que assumiu a liderança do ranking elaborado pela siscorp, mesmo com queda de 13% na arrecadação comparado a julho de 2017, com receitas de r$ 22,4 bilhões nos sete meses deste ano. o bradesco vem em segundo, com r$ 20 bilhões. em ambos, o vgbl tem uma grande participação: 77% e 64%, respectivamente. caixa, prudential, icatu, sulamérica e liberty registraram no período os maiores índices de crescimento. o avanço da caixa vem youse, a plataforma digital que se tornou uma das maiores anunciantes do setor no ano passado. em jantar realizado com corretores em são paulo nesta semana, a prudential divulgou alta de 23% na totalidade de prêmios de seguros de vida individual no primeiro semestre ante um ano, rompendo a marca de r$ 1 bilhão. a icatu cresceu 18% em seguro de vida, enquanto o mercado apresentou crescimento de 12% no primeiro semestre de 2018. a sulamérica registrou crescimento de 75% no volume de prêmios em novas contratações do seguro personalizado para lojas de cosméticos e perfumarias no acumulado do primeiro semestre de 2018, em comparação ao ano anterior. o setor de institutos de beleza e estética (salões, esmalterias, espaços de depilação etc.), que também conta com um seguro personalizado da sulamérica, igualmente apresentou aumento de prêmio em contratações novas, ficando na casa de 25% no período acumulado de 2018 contra 2017. “a personalização de produtos conforme as demandas dos clientes é uma estratégia da companhia que evidencia o trabalho constante de ouvir e atender diferentes perfis de negócio. o avanço dos números para estes segmentos mostra que estamos no caminho certo, sempre de olho nas tendências do mercado”, avalia o vice-presidente de auto e massificados da sulamérica, eduardo dal ri. “este comportamento também demonstra maturidade por parte destes setores, em franco crescimento no país, já que contratar um seguro significa reconhecer a importância de proteger o patrimônio”, completa. a liberty tem comemorado a venda do seguro sob medida para automóveis, comercializado pela nova marca aliro. as soluções da nova marca foram criadas para pessoas que buscam serviços mais simplificados e acessíveis: por isso o nome aliro, que significa acesso em esperanto, conhecida língua criada para comunicação internacional, informa a companhia. apesar das vendas menores, o lucro do seguro segue avançando. analistas citam que boa parte do aumento do lucro vem de seguradoras que inovam em produtos, melhoram a comunicação com consumidores, que estimulam os corretores a venderem produtos antes fora do portfólio e também pelo uso de tecnologia, que traz ganhos com eficiência, redução de fraudes e de desperdício de tempo e de recursos financeiros. fonte: sonho seguro
17/09/2018

IBC-Br sobe 0,57% em julho ante junho, com ajuste, revela BC

 o índice de atividade econômica do banco central (ibc-br) teve alta de 0,57% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, informou a instituição nesta segunda-feira (17). a elevação ocorre depois de avanço de 3,42% em junho (dado já revisado), em movimento de recuperação após a greve dos caminhoneiros. o índice de atividade calculado pelo bc passou de 138,17 pontos para 138,96 pontos na série dessazonalizada de junho para julho. este é o maior patamar para o ibc-br com ajuste desde outubro de 2015 (139,05 pontos). a atividade em maio havia sido prejudicada pela paralisação dos caminhoneiros em todo o brasil, verificada nas últimas semanas do mês. em junho, o movimento arrefeceu e a atividade voltou a acelerar. agora, em julho, mais uma vez, o indicador apresentou alta, embora em ritmo menor que o do mês anterior. o aumento do ibc-br ficou acima do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo broadcast projeções, que esperavam resultado entre queda de 0,67% e avanço de 0,50% (mediana positiva de 0,10%). na comparação entre os meses de julho de 2018 e julho de 2017, houve alta de 2,56% na série sem ajustes sazonais. esta série encerrou com o ibc-br em 142,19 pontos em julho, ante 138,64 pontos de julho do ano passado. o indicador de julho de 2018 ante o mesmo mês de 2017 veio dentro do intervalo das projeções, mas mostrou desempenho acima do apontado pela mediana (1,75%) de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo broadcast projeções (0,80% a 2,90% de intervalo). o patamar de 142,19 pontos é o melhor para meses de julho desde 2015 (143,63 pontos). conhecido como uma espécie de "prévia do bc para o pib", o ibc-br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. a previsão atual do bc para a atividade doméstica em 2018 é de avanço de 1,6%. jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/09/648741-ibc-br-sobe-0-57-em-julho-ante-junho-com-ajuste-revela-bc.html)  
17/09/2018

Mercado projeta crescimento do PIB ainda menor em 2018

 a projeção de crescimento do produto interno bruto (pib) neste ano caiu pela quarta vez consecutiva, de 1,40% para 1,36%, conforme o relatório de mercado focus, divulgado nesta segunda-feira (17), pelo banco central. há quatro semanas, a estimativa era de crescimento de 1,49%. para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do pib de 2,50%, igual ao visto quatro semanas atrás. para o ipca, o mercado aponta leve recuo da estimativa, prevendo a a mediana do índice de alta de 4,05% para elevação de 4,09%. há um mês, estava em 4,15%. no câmbio, as apostas indicam alta neste ano e em 2019. a mediana das expectativas passou de r$ 3,80 para r$ 3,83, ante os r$ 3,70 verificados há um mês. em relação à selic, taxa básica de juros, o mercado espera a manutenção em 6,5% ano ano. no fim de julho, o bc reduziu sua projeção para o pib em 2018, de 2,6% para 1,6%. a instituição atribuiu a mudança na estimativa à frustração com a economia no início do ano. no fim de agosto, foi a vez de o instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge) informar que o pib cresceu apenas 0,2% no segundo trimestre, em função dos efeitos da greve dos caminhoneiros ocorrida em maio e junho. no primeiro semestre, a alta acumulada foi de 1,0%. no relatório focus desta segunda, a projeção para a produção industrial de 2018, porém, subiu de alta de 2,26% para elevação de 2,67%. há um mês, estava em 2,73%. no caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,82% para 3,00%, mesmo patamar de quatro semanas antes. a pesquisa focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o pib para 2018 foi de 54,20% para 54,32%. há um mês, estava em 54,25%. para 2019, a expectativa passou de 57,60% para 57,75%, ante os 57,70% de um mês atrás. os economistas consultados pelo focus alteraram a previsão para a inflação em setembro de 2018, de 0,24% para 0,25%. um mês antes, o porcentual projetado estava em 0,22%. para outubro, a projeção subiu de 0,30% para 0,31% e, para novembro, permaneceu em 0,30%. há um mês, os porcentuais eram de 0,29% e 0,30%, respectivamente. no focus agora divulgado, a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 3,89% para 3,90% de uma semana para outra - há um mês, estava em 3,67%. o relatório de mercado focus indicou alta na projeção para os preços administrados em 2018. a mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano passou de avanço de 7,20% para alta de 7,30%. para 2019, a mediana se manteve em elevação de 4,80%. há um mês, o mercado projetava aumento de 7,10% para os preços administrados neste ano e elevação de 4,73% no próximo ano. as projeções atuais do bc para os preços administrados, no cenário de mercado, indicam elevações de 7,2% em 2018 e 4,6% em 2019. estes porcentuais foram informados no último relatório trimestral de inflação (rti), divulgado em junho.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/09/648745-mercado-projeta-crescimento-do-pib-ainda-menor-em-2018.html)
14/09/2018

União Seguradora comemora 105 anos.

 o grupo aspecir esteve no piquete da rede pampa, dia 13, para homenagear a união seguradora que comemora 105 anos no dia 20 de setembro. como uma típica gaúcha, a empresa festejou com um excelente churrasco e uma boa prosa ao lado de amigos, colaboradores e parceiros. para milton machado, o segredo da longevidade é o trabalho feito com simplicidade e dignidade, uma equipe de confiança e a parceria dos corretores. “vida longa à união seguradora!” presentes ao evento: o presidente milton machado, o diretor júlio machado, carlos alfredo radanovitsck, maurício farias, joão lock, antônio coutinho, marco rocha, ilton manique, samantha valle, sérgio sokal, thiago lopes estevem, renata ribeiro, patrícia schoffen, elizângela canello, raquel chaves coutinho, janete roque coronel, deise darski, regina simões e rita stalbaum santos.   
12/09/2018

Seguro DPVAT: de janeiro a julho, Seguradora Líder identificou mais de 6,7 mil pedidos indevidos

 a seguradora líder continua obtendo resultados expressivos no combate às fraudes contra o seguro dpvat. de janeiro a julho, foram identificados 6.727 pedidos indevidos de indenização, o que representa uma excepcional média de cerca de 32 fraudes evitadas a cada dia. de acordo com a seguradora líder, do total, 23,6% se concentraram no ceará, estado que aparece em primeiro lugar no ranking brasileiro de fraudes ao seguro dpvat, seguido por são paulo e pernambuco, onde foram identificados 23% e 6,7% dos pedidos indevidos, respectivamente. vale destacar o apoio da sociedade no combate às fraudes, o que se reflete no número expressivo de 243 denúncias realizadas no canal de denúncias no site da seguradora líder de janeiro a julho. desde o início da operação no site, em 2011, já foram recebidas 3.126 denúncias. os números apurados foram comemorados pelo diretor-presidente da seguradora líder, ismar tôrres, para quem a atuação no combate às fraudes é um importante instrumento de proteção para que o seguro dpvat continue atendendo a quem de fato tem direito ao benefício. “os números do nosso intenso combate às fraudes ilustram que a atuação firme da companhia tem garantido que o seguro seja pago a quem é de direito. continuamos contando com a colaboração de toda a sociedade para denunciar casos suspeitos através dos canais gratuitos disponibilizados pela seguradora líder, como o canal de denúncias”, afirmou o executivo. outro ponto a destacar é que, de janeiro a julho, as iniciativas proativas da seguradora líder de encaminhamento de notícias-crime para os órgãos competentes já resultaram em 30 sentenças condenatórias; 46 condenados; 22 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe e 18 prisões em todo o brasil. a seguradora líder esclarece que qualquer pessoa pode denunciar casos suspeitos relacionados à indenização do seguro dpvat. as denúncias podem ser feitas por meio do 0800 022 12 05 ou no canal de denúncias, disponível através do link: https://www.seguradoralider.com.br/contato/denuncia-de-fraudes. as ligações são gratuitas e, em nenhum dos dois canais, é necessário se identificar. fonte: cqcs
12/09/2018

Confira os estados onde há vencimento do Seguro DPVAT no mês de setembro

 em alguns estados do brasil, o calendário de pagamento do seguro dpvat, associado à cota única do ipva, vai até o final do ano. neste mês de setembro, o prêmio do seguro dpvat vence para proprietários de veículos com diversos finais de placas e categorias de 10 estados brasileiros: amazonas, bahia, goiás, pará, paraíba, piauí, rondônia, santa catarina, sergipe e tocantins. a consulta aos calendários de pagamento, por final de placa, pode ser feita aqui. de contratação anual obrigatória por todos os proprietários de veículos automotores de via terrestre sujeitos a registro e licenciamento, o valor do seguro dpvat varia de acordo com as categorias dos veículos e o vencimento acompanha o da cota única do ipva. em caso de veículos isentos do ipva, o pagamento do dpvat deve ser feito juntamente com o emplacamento ou no momento do licenciamento anual. somente de janeiro a agosto, mais de 50 milhões de bilhetes do seguro dpvat foram pagos em todo o brasil. o pagamento do seguro dpvat é condição obrigatória para o licenciamento anual dos veículos. além disso, ao manter o seguro em dia, o proprietário garante a sua indenização e a de mais de 208 milhões de brasileiros em caso de acidente de trânsito. a seguradora líder esclarece que, em eventuais casos de atraso no pagamento, não há incidência de multas ou juros. entre em https://www.seguradoralider.com.br/pages/saiba-como-pagar.aspx para emitir as guias de pagamento e consultar as informações sobre os bancos arrecadadores de acordo com as regras estabelecidas em cada estado. fonte: seguradora líder
12/09/2018

Resseguradores se reúnem em Mônaco; Swiss Re divulga estudo

 começou no dia e de setembro e termina dia 13, o tradicional evento monte carlo reinsurance rendez-vous, em mônaco. os principais temas da 62º edição são os resseguros ligados a seguros (ils), além das condições do mundo para a próxima grande temporada de renovações dos contratos de resseguros. o mercado de resseguros está à beira de entrar em um período de renascimento impulsionado pela tecnologia e securitização, de acordo com altos executivos da corretora willis re. a divisão de resseguros da aon lançou uma nova equipe da capital advisory, liderada por eric paire, que reconhece a necessidade de oferecer otimização de capital para seus clientes. espera-se que a demanda de resseguro e ils aumente, mas o preço é fundamental, encontramos em nossa primeira pesquisa de mercado global. a reinsurance news e a artemis se uniram para medir a temperatura do mercado global de resseguros no momento mais importante para a indústria. uma das tendências citadas pela swiss re é a queda de lucratividade do segmento de seguros de bens. o grupo divulgou no evento o seu mais recente estudo: “profitability in non-life insurance: mind the gap” (rentabilidade em seguro não vida: cuidado com o desnível), aborda a disparidade em lucratividade existente no setor de seguros não vida. a análise mostra que as seguradoras nos principais mercados ocidentais e japonês precisam melhorar as margens de subscrição (lucro de subscrição como uma porcentagem de prêmios) em cerca de 5 a 9 pontos percentuais se quiserem gerar um retorno sobre o patrimônio (roe) desejado de 10% no futuro. a melhora econômica atual beneficiará a lucratividade futura através de taxas de juros mais altas e retornos de investimento, porém não será suficiente para resolver as diferenças de rentabilidade. ao mesmo tempo, espera-se que os mercados de trabalho mais restritos aumentem os salários e a inflação dos sinistros. deste modo, as taxas de prêmio precisam aumentar mais do que as tendências dos sinistros de modo a obter uma melhoria sustentável em rentabilidade. o setor global de seguros não vida está passando por uma fase vulnerável do ciclo de rentabilidade, refletindo condições de subscrição e desempenho de investimento fracos e alto nível de fundos de capital. o roe do setor caiu para 6% no ano passado, de 7% em 2016 e aproximadamente 9% alcançados anualmente entre 2013 e 2015. a temporada de catástrofes de 2017 pode ter acionado um ponto de inflexão as condições de subscrição continuam fracas em 2018, particularmente em seguros comerciais, mas parecem estar passando por um ponto de inflexão. isto se deve às grandes perdas geradas pelos furacões em 2017, que prepararam o terreno para uma correção de preços. as taxas de prêmio de linha comercial começaram a subir no final de 2017. “as perdas geradas por catástrofes em 2017 desencadearam uma alteração modesta na dinâmica do mercado”, afirma edouard schmid, diretor executivo de subscrição do swiss re group. “no entanto, falta saber o quão forte e sustentável é o endurecimento do mercado. os aumentos das taxas de contas e linhas comerciais de negócios não afetados pelas perdas causadas por catástrofes mantiveram-se abaixo das expectativas iniciais, por exemplo”. nas linhas particulares, já houve um fortalecimento moderado de taxa em vários mercados importantes há alguns anos. apesar do modesto fortalecimento da taxa de prêmio, o sigma mostra que é necessário mais trabalho para melhorar o desempenho de subscrição caso os déficits atuais em rentabilidade precisem ser corrigidos. as margens de subscrição precisam melhorar em torno de 5 a 9 pontos percentuais nos principais mercados ocidentais e japonês para gerar o roe desejado de 10% aos investidores. a evolução econômica por si só não resolverá a diferença de rentabilidade. as taxas de juros e os resultados de subscrição de seguradoras não vida estão inter-relacionados a longo prazo. no passado, durante períodos de taxas de juros mais altas, os retornos de investimento mais elevados eram compensados por perdas de subscrição maiores. https://www.sonhoseguro.com.br/wp-content/uploads/2018/09/captura-de-tela-2018-09-10-%c3%a0s-15.20.13.png em contrapartida, no ciclo atual, os resultados de subscrição pioraram sem o benefício da compensação do aumento de rendimentos, uma vez que a lenta recuperação pós crise resultou em um cenário prolongado de taxas de juros baixas. o crescimento econômico subjacente melhorou fortemente em 2017 e espera-se que continue em 2018, aumentando a pressão sobre a inflação e as taxas de juros. os bancos centrais de vários países já estão retirando o estímulo monetário para evitar um superaquecimento. isto indica uma mudança no ambiente operacional para seguradoras não vida. “sob as atuais condições econômicas mais fortes, esperamos que as taxas de juros nos mercados maduros continuem a subir moderadamente, o que deve apoiar o lucro das seguradoras através de retornos de investimentos mais altos”, declarou jérôme jean haegeli, economista-chefe do swiss re group. no entanto, “a evolução macroeconômica por si só não resultará em melhorias sustentáveis na rentabilidade do setor não vida. a tendência de queda dos rendimentos de investimento diminuiu, mas, ao mesmo tempo, o aumento nas taxas de juros a longo prazo que nós prevemos não é substancial”. além disso, os mercados de trabalho mais apertados estão projetados a empurrar para cima a inflação geral e de sinistros, criando um efeito compensatório sobre a rentabilidade. a crescente inflação de sinistros terá o impacto adicional de supressão da adequação das provisões de sinistros e confirma ainda que, para conseguir uma melhoria sustentável na rentabilidade do setor, será necessário um aumento da taxa de prêmio de seguro que ultrapasse o aumento das tendências de sinistros. em sua análise do ciclo de rentabilidade, este sigma demonstra que, a longo prazo, as companhias de seguro apresentaram um nível de rentabilidade comparável com o de empresas de outros setores. de acordo com essas tendências de lucro, uma comparação de duas décadas do desempenho do mercado de ações das seguradoras não vida sugere uma valorização equivalente ou até mesmo acima da paridade. além disso, as ações de seguradoras demonstram uma baixa correlação de retornos de preços com outros setores da indústria e, consequentemente, oferecem um valor de oferta aos investidores sob a forma de vantagens em termos de diversificação. as tendências subjacentes indicam que os ciclos de subscrição estão fortemente integrados em nível global e a todas as linhas de negócios. a análise no sigma identifica um padrão cíclico geral, como também algumas variações –fora de padrão devido às perdas causadas pelas catástrofes naturais e um grau de tendências de preços específicas de países e linhas de negócios. consequentemente, os negócios não vida em diferentes linhas e países proporcionam vantagens de diversificação ao portfólio de subscrição de uma seguradora. outra constatação é que a duração média do ciclo parece ter aumentado desde o início dos anos 1980, quando os bancos centrais mudaram o foco de suas políticas para combater a inflação e grande parte da indústria de serviços financeiros ficou desregulada. investimentos em tecnologias favorecem a eficiência e segurabilidade. a pressão sobre os rendimentos não vida aumentou o interesse em inovação. os investimentos das seguradoras em tecnologia levaram a ganhos de eficiência e margens comprimidas para o sistema de distribuição em linhas comoditizadas. em algumas linhas de negócios, a adoção da tecnologia também reduziu os custos de sinistros. as vantagens para a rentabilidade são inicialmente ofuscadas pelos ganhos sendo parcialmente repassados aos clientes através da competição e também pelo custo do investimento em tecnologia. a longo prazo, os investimentos em dados e analítica avançada melhoram a eficiência, subscrição e segurabilidade de riscos complexos crescentes, seja através da melhoria em viabilidade, acesso ou melhor capacidade de subscrição de riscos novos e difíceis de quantificar. fonte: sonho seguro
12/09/2018

Projeto de Lei atribui novas responsabilidades à autorreguladora do mercado

 em vias de aprovação pelo presidente da república, o projeto de lei da câmara nº 7, de 2013, que altera a lei nº 4.594, de 1964, dispõem sobre a atribuição da autorreguladora de seguros e resseguros do mercado perante a susep. o texto concede à autorreguladora atribuições no procedimento de cadastramento dos corretores de seguros à susep, instituindo que o profissional solicite à entidade o título de habilitação, antes de encaminhar para a autarquia. no entanto, a proposta não permite que a autorreguladora puna os profissionais, por se tratar de entidade da iniciativa privada. o senado retirou o parágrafo que aborda a obrigatoriedade na contratação do seguro de responsabilidade civil por parte do corretor de seguros. “… além de tal medida restringir o mercado de corretagem, importar no aumento do custo do serviço, o ambiente de controle exercido pela susep é suficiente para dar a segurança de que necessita os usuários”, diz o projeto. após passar pela câmara dos deputados e o senado federal, o projeto agora segue para a sanção presidencial. confira o projeto de lei na íntegra: http://www.sincor.org.br/wp-content/uploads/2018/09/pl_autorreguladora.pdf fonte: comunicação sincor-sp
12/09/2018

Como fidelizar clientes?

 se conquistar clientes já é uma tarefa árdua, fidelizar é ainda mais desafiador. com a concorrência cada vez maior e as distâncias sendo reduzidas ao toque de um clique, o cliente só volta a comprar no mesmo lugar se ficar realmente muito satisfeito. e, não estamos falando apenas da qualidade de um produto ou serviço. com o consumidor mais bem informado e exigente, são muitas as variáveis que ele considera antes de se tornar fiel a um estabelecimento. por esse motivo, listei aqui dicas preciosas para fazer o seu cliente voltar sempre. - invista num bom atendimento: atenda os seus clientes como você mesmo gostaria de ser atendido. cortesia e presteza são fundamentais a qualquer profissional que lide diretamente com o público. portanto, é fundamental investir em bons treinamentos para que sua equipe seja capaz de oferecer um atendimento de excelência, fazendo com que o cliente se sinta à vontade, encontre o que procura e, principalmente, que saia muito satisfeito com a experiência vivida dentro do seu estabelecimento. - entenda bem o seu cliente: com tantas ferramentas tecnológicas disponíveis atualmente, certamente existe uma que atenda exatamente as suas necessidades para entender bem o perfil do seu cliente. sabe-se que as pessoas não querem mais ser tratadas apenas como “mais um”. para dar esse toque especial e refinar o relacionamento, é preciso conhecer o cliente mais a fundo. qual é a frequência que ele visita a sua empresa? o que ele costuma procurar? qual é o comportamento dele dentro da loja? ter essas informações e usá-las de forma estratégica é crucial nos dias de hoje. - aposte na comunicação: além de ser conhecido, seu cliente deseja ser impactado com informações relevantes para ele. nesse sentido, o marketing de conteúdo tem desempenhado um excelente papel, oferecendo informações em cada fase de maturação do cliente. se ele ainda está na fase de busca e pesquisa, um e-book com mais informações sobre o seu produto ou serviço pode agradar. já se ele estiver decidido a comprar, um cupom de desconto pode fazer a diferença entre o sim e o não dele. - crie uma experiência: independentemente se você trabalha com produtos ou serviços, o que todo cliente busca hoje é viver uma experiência de compra. então, aposte em criar momentos memoráveis para ele. mostre ao seu cliente que ele é único e merece ser tratado com muito cuidado. busque pequenas personalizações, como tratá-lo pelo nome, descobrir o motivo dele estar buscando a sua empresa, quais são as expectativas dele, etc. tendo informações valiosas vai ficar muito mais fácil encantar. - dê algo mais aos vips: clientes fiéis não merecem ser tratados da mesma forma que todos os outros. aposte em programas de fidelidade, capazes de fazer com que ele se sinta realmente recompensado por frequentar sempre o seu estabelecimento. ofereça vantagens que vão além do “faça 10 e ganhe 1”. felizmente, hoje há vários recursos que permitem criar vantagens realmente atrativas para o cliente premium, como é o caso do unique club, um clube de vantagens que oferece descontos em milhares de empresas, como restaurantes, livrarias, cinema e universidades. os benefícios vão muito além do seu espaço. - capte depoimentos: não importa se a compra é de baixo ou grande valor. todo cliente gosta de saber que por aquela empresa já passaram clientes tão satisfeitos que foram capazes de deixar o seu depoimento. aqui pode ser uma foto, um vídeo ou um relato escrito. isso aumenta a confiança de quem está chegando agora e motiva novas compras. mantenha os depoimentos sempre atualizados, a fim de que o cliente que volta, veja que há cada vez mais clientes satisfeitos ali. seguindo todas essas dicas, as chances de o seu cliente voltar e se tornar fiel aumentam consideravelmente. buscar um concorrente nem vai estar nos planos dele. sendo bem cuidado e muito mimado, nenhum cliente vai deixar de consumir o que você tem a oferecer. afinal, você não vende apenas produtos ou serviços. você entrega benefícios e valor. fonte: portal nacional de seguros por antônio bigaton é administrador de empresas formado pela faap e sócio diretor da company group.

Após recorde, Ibovespa sobe com perspectiva sobre previdência e exterior positivo


09/01/2019
O Ibovespa abriu em alta nesta quarta-feira (9) com apoio de todas as blue chips, exceto a ON do Banco do Brasil. A abertura positiva, mesmo após o recorde na terça-feira (8) no fechamento (92.301,86 pontos), acontece em meio ao persistente bom humor dos agentes econômicos com a esperança de concretização da agenda liberal do governo Bolsonaro, a começar pelas mudanças na Previdência. Às 10h28min, o Ibovespa subia 0,54% aos 92.530 pontos. Na máxima intraday, marcou 92.653 pontos (+0,68%). Foi renovada na terça a perspectiva de uma reforma mais dura do que a declarada pelo presidente Jair Bolsonaro. Além disso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu para esta quarta a apresentação de uma medida provisória para conter fraudes previdenciárias e assistenciais. Do exterior, a influência é positiva. As bolsas na Europa sobem. Os índices acionários futuros de Nova Iorque indicam uma abertura positiva do mercado à vista americano. E o petróleo sobe perto de 2%, na oitava sessão consecutiva de ganhos. Contribui para esse cenário o otimismo do investidor global com a perspectiva positiva sobre um possível acordo entre China e Estados Unidos para dirimir as divergências comerciais. Ainda que persista a paralisação parcial do governo americano, agradou o fato de o presidente Donald Trump não declarar "emergência nacional". Nesta quarta, Trump irá ao Capitólio conversar com senadores republicanos sobre o impasse na administração federal. Os democratas continuam firmes no propósito de não liberar recursos para a construção do muro na fronteira com o México, como pede o presidente. A ON do Banco do Brasil caía 0,19%, num momento de atenção à promoção do filho do vice-presidente, general Mourão, no Banco do Brasil. O funcionário de carreira do banco estatal Antonio Hamilton Rossell Mourão foi promovido a assessor especial, o que triplicou seu salário.

Jornal do Comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/01/664727-apos-recorde-ibovespa-sobe-com-perspectiva-sobre-previdencia-e-exterior-positivo.html)
 

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989