14/01/2019

Inflação para terceira idade fecha 2018 com alta de 4,75%

 a inflação sentida pela população idosa acelerou o ritmo de alta de 0,69% no terceiro trimestre de 2018 para 0,80% no quarto trimestre, informou a fundação getulio vargas (fgv) na manhã desta segunda-feira (14). o índice de preços ao consumidor da terceira idade (ipc-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, acumulou uma alta de 4,75% no ano de 2018. com o resultado, a variação de preços percebida pela terceira idade ficou acima da taxa de 4,32% acumulada no ano passado pelo índice de preços ao consumidor - brasil (ipc-br), que apura a inflação média percebida pelas famílias com renda mensal entre um e 33 salários mínimos. no quarto trimestre de 2018, três das oito classes de despesa do ipc-3i registraram taxas de variação mais elevadas do que no terceiro trimestre. a principal contribuição para a aceleração da inflação do idoso partiu do grupo alimentação, que passou de uma queda de preços de 1,57% no terceiro trimestre para um avanço de 3,49% no último trimestre do ano. as hortaliças e legumes subiram 52,48% no quarto trimestre, depois de uma queda de 31,93% registrada no terceiro trimestre. os demais aumentos ocorreram nos grupos vestuário (de -0,55% para 1,46%) e educação, leitura e recreação (de 2,21% para 2,85%), sob influência de itens como roupas (de -1,01% para 1,73%) e passagem aérea (de 19,60% para 30,61%). na direção oposta, as taxas foram mais baixas nos grupos habitação (de 1,74% para -0,89%), transportes (de 0,73% para -0,20%), saúde e cuidados pessoais (de 1,20% para 1,14%) e despesas diversas (de 0,66% para 0,31%). os itens de destaque foram tarifa de eletricidade residencial (de 5,27% para -8,12%), gasolina (de 1,79% para -4,92%), medicamentos em geral (de 0,47% para 0,17%) e cigarros (de 2,63% para 0,04%). o grupo comunicação repetiu no quarto trimestre a alta de 0,22% verificada no trimestre anterior, sob impacto dos pacotes de telefonia fixa e internet (de -0,18% para 1,26%) e da mensalidade para tv por assinatura (0,99% para 0,22%).   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/01/665321-inflacao-para-terceira-idade-fecha-2018-com-alta-de-4-75.html)
11/01/2019

Recado para o brasileiro repensar a sua aposentadoria

 regime de capitalização proposto por paulo guedes exigirá planejamento de longo prazo à classe média este conteúdo foi produzido pelo sistema jornal do commercio de comunicação. para compartilhar, use o link https://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/nacional/noticia/2019/01/10/recado-para-o-brasileiro-repensar-a-sua-aposentadoria-368263.php
11/01/2019

Uma alternativa para os desafios da aposentadoria

  muito comum e amplamente utilizados nos eua, estes fundos representam 20% do patrimônio dos planos de contribuição definida no mercado americano. fundos data alvo: uma alternativa para os desafios da aposentadoria fonte: infomoney veja mais em: https://www.infomoney.com.br/onde-investir/previdencia/noticia/7863830/fundos-data-alvo-uma-alternativa-para-os-desafios-da-aposentadoria fundos data alvo: uma alternativa para os desafios da aposentadoria - infomoney
11/01/2019

Onde cotar seguro viagem com bons preços; dicas práticas

  todo mundo sempre fala como é importante viajar com um seguro, já que nunca sabemos o que poderá acontecer durante os dias longe de casa. entretanto, nem todos sabem onde cotar seguro viagem com bons preços nem como escolher o que mais combina com o seu perfil de viajante. por isso, neste post vamos dar algumas dicas para ajudar nesta decisão. | por que fazer um seguro antes de pensar onde cotar seguro viagem, é bom lembrar a importância de se fazer um seguro. sempre brinco que seguro é aquele tipo de coisa que nós adquirimos, mas que nunca queremos usar. só que quando necessário fará toda a diferença. quem viaja para a europa deve saber que em praticamente todos os países é obrigatório entrar com um seguro viagem. caso não tenha e seja solicitado, o viajante terá que fazer na hora e pagará bem mais caro por isso. de toda forma, independente de ser ou não obrigatório, é muito importante viajar com um seguro. a gente nunca sabe o que pode acontecer enquanto estamos viajando. o rafa aqui do blog foi passar uns dias no chile e visitou o valle nevado. ele resolveu esquiar na pista infantil, levou um tombou e fraturou a coluna. se ele não tivesse feito um seguro viagem, ele teria gastado uma fortuna. precisou até de helicóptero para ir ao hospital em santiago. o valor do seguro não é tão alto e fará toda a diferença se for necessário. dito tudo isso, vamos falar agora sobre onde cotar o seguro viagem. | onde cotar seguro viagem com a imensidão de operadoras, fica difícil decidir onde cotar seguro viagem. por isso, a nossa dica é usar um buscador que una as principais delas e que seja fácil de fazer o comparativo entre os diferentes tipos de seguro. nós sempre usamos e indicamos a seguros promo. o site é muito fácil de navegar. é só entrar, colocar alguns dados como a data da viagem e o local e pronto. aparecerá uma lista com diversas operadoras, tipos de planos e preços. o mais legal é que dá para comparar os diferentes tipos de seguro na mesma tela. assim, fica fácil de visualizar o que cada um oferece. preste bem atenção no tipo de viagem que você fará. por exemplo, se você for praticar esportes radicais, lembre-se de ver se o seguro cobre isso. gestantes também devem ficar atentas, já que nem todos os seguros cobrem gestação e alguns valores podem ser bem altos. de acordo com o site truven health, por exemplo, um parto nos estados unidos pode sair por us$ 50 mil e um exame de ultrassom pode chegar a us$ 1600. outra dica importante é tentar descobrir os preços cobrados por médicos e hospitais no destino que você irá para saber se o valor da cobertura será suficiente. onde cotar seguro viagem com bons preços (foto via shutterstock) | como conseguir desconto no seguro depois de escolher o seu seguro na seguros promo, lembre-se de utilizar o nosso cupom essemundoenosso5 para ganhar 5% de desconto no valor final. entre agora mesmo no site, faça a sua cotação e use o cupom. se você tiver com bastante tempo de antecedência para a viagem, escolha pagar com boleto bancário. assim, você ganhará mais 5% de desconto.
11/01/2019

Brasileiros aderem aos seguros de vida para proteção da renda familiar

  a arrecadação de planos, em diferentes modalidades, das seguradoras não ligadas a bancos cresceu em média 10% no último ano, aponta mongeral aegon casados por 38 anos e pais de dois filhos, neuza rosa e clelcy oliveira tinham a preocupação com o futuro. por mais de 30 anos, os dois mantiveram um seguro de vida cada um como uma garantia financeira para o caso de um dos dois falecer. em outubro de 2015, neuza ficou viúva e vem se mantendo com a aposentadoria do marido. todo o valor segurado está aplicado e poderá ser usado no caso de alguma eventualidade. - apesar de ainda estar me recuperando, me sinto mais segura em saber que, se acontecer algum imprevisto, eu tenho o dinheiro lá, me esperando - conta neuza, 62 anos, moradora do bairro de jacarepaguá, zona oeste do rio de janeiro. após essa experiência, a carioca seguiu com seu seguro e incluiu os dois filhos como beneficiários. - o dia em que eu faltar eles terão direito ao valor deixado por mim, inclusive com o seguro de assistência funeral, como aconteceu no caso do meu marido. quando ele faleceu, vi como esse tipo de benefício pode ser útil – relata. - a falta prematura de uma pessoa na família é a principal preocupação de quem faz esse tipo de contrato. é uma forma de garantir a estabilidade do dependente financeiro em caso de acidente ou de morte - explica wagner lima, superintendente comercial no rio de janeiro da mongeral aegon seguros e previdência. para o seguro em caso de morte, há duas opções para o pagamento ao beneficiário: receber o valor integral da apólice ou em parcelas mensais por prazo pré-determinado. casos como o de neuza são cada vez mais comuns, segundo o executivo. muitos imaginam que os seguros de vida sirvam apenas para o caso de falecimento, mas há contratos que preveem proteção em caso de invalidez, temporária ou permanente, e até para quem for acometido por doenças graves. quem deve procurar proteção segundo lima, não há uma recomendação padrão sobre quando se deve começar a fazer um seguro de vida. a decisão depende do momento pelo qual passa o segurado, quais são suas necessidades e expectativas – profissão, se tem filhos ou outro tipo de dependente e qual é a idade, por exemplo. esse perfil é detalhado por um consultor de seguros. no caso da mongeral aegon, o corretor profissional passa pelo menos 40 minutos fazendo a coleta de informações para poder identificar qual é a necessidade de quem deseja contratar o seguro.   - um profissional a partir dos 30 anos, por exemplo, está em um período de crescimento na carreira, com sua trajetória em ascensão. ao mesmo tempo, ele ainda não conseguiu acumular um patrimônio. em casos assim, o seguro pode ser a melhor forma de proteger os seus dependentes financeiros ou até mesmo sua própria renda se acontecer alguma eventualidade – explica o superintendente da mongeral aegon. os imprevistos cobertos não se restringem aos casos de morte. também é possível fazer uma proteção para invalidez, total ou parcial, causada por acidente ou doença. nesses casos, o cliente pode contratar o benefício, recebê-lo de uma única vez ou mensalmente, como uma renda, pelo período definido em contrato. dessa forma, o segurado mantém seu patrimônio financeiro e se protege de sobressaltos financeiros mesmo sem poder trabalhar, situações que muitas vezes acabam por virar uma fonte adicional de dor de cabeça em um momento tão difícil para toda a família. a situação pode ficar especialmente delicada para aqueles que têm filhos pequenos como dependentes financeiros ou então os pais idosos que recebem algum tipo de auxílio. fôlego para a superação outra modalidade de seguro que vem ganhando mais adesões, em parte como resultado do aumento de expectativa de vida dos brasileiros, é o de cobertura para doenças graves, como câncer, avc, infarto, a maioria dos transplantes e mal de alzheimer, entre outras. - as pessoas vivem em um ritmo cada vez mais acelerado, sob estresse, e muitos não se cuidam. um seguro como esse, em que o contratante recebe uma indenização caso apresente uma dessas doenças, é uma alternativa para manter sua proteção financeira mesmo que tenha de se afastar do trabalho – afirma lima. o pagamento é feito de uma só vez depois de o problema de saúde ser diagnosticado. assim, mesmo que o segurado não tenha conseguido acumular um patrimônio ao longo de sua vida profissional, especialmente se for mais jovem, terá à sua disposição um montante para custear o tratamento, como a compra de medicamentos ou a contratação de serviços de home-care, que por muitas vezes acabam por onerar o orçamento justamente em um período delicado. recomposição financeira lima explica que apesar de garantir o pagamento de um valor, o seguro de vida não deve ser confundido com investimentos. - seguro de vida não é para quem pensa em ficar rico, não é esse o propósito. ele serve para recompor as finanças dos beneficiários. pesquisas apontam que no caso de morte, por exemplo, a família leva de quatro anos e meio a cinco anos para se recuperar, tanto emocionalmente quanto financeiramente – diz o executivo. fundada há 184 anos, a mongeral aegon, associada ao grupo aegon – um dos dez maiores grupos de seguros e previdência do mundo - é uma das empresas mais antigas do brasil. com atuação nacional, hoje conta com 40 unidades de atendimento espalhadas pelo país e mais de 2,2 milhões de clientes. suas vendas consultivas são feitas por corretores parceiros. toda sua atividade é fiscalizada e regulamentada pela superintendência de seguros privados, a susep, que autoriza e controla as atividades do setor.
11/01/2019

Maior oferta de produtos corporativos faz setor de seguros sair...

  no primeiro semestre do ano passado, o destaque foi a área de óleo e gás, que cresceu quase 65% em relação ao mesmo período de 2017 o estadão registra que, com a diversificação na oferta de produtos, sobretudo corporativos, o mercado de seguros brasileiros está deixando a concentração nos segmentos de vida e automóvel. no primeiro semestre do ano passado, o destaque foi a área de óleo e gás, que cresceu quase 65% em relação ao mesmo período de 2017, segundo o relatório jlt id report brasil. outros segmentos tiveram altas superiores a dois dígitos, como seguros de transporte ferroviário, marítimo e aéreo, que cresceram 15% e os seguros patrimoniais ligados a condomínios, empresariais e residenciais, que aumentaram 11%.
11/01/2019

JLT lança a 4ª Edição de Relatório sobre Mercado de Seguros e Resseguros no Brasil

  a 4ª edição do jlt id report brasil, relatório com panorama e análise sobre o mercado de seguros e resseguros do país, mostra que o segmento de seguros emitiu r$ 49,3 bilhões em prêmios no primeiro semestre de 2018, um crescimento de 7,3% em relação ao mesmo período de 2017. o grupo que mais contribuiu para esse aumento foi óleo e gás, com r$ 237 milhões de emissões, um crescimento de 64,7% se comparado aos primeiros seis meses de 2017. os sinistros ocorridos totalizaram r$ 21,3 bilhões nos primeiros seis meses de 2018, com uma sinistralidade de 43,3%. o resultado apresenta um decréscimo de 1,6% em relação ao mesmo período do ano de 2017, em decorrência, principalmente, da redução observada pelos grupos de riscos financeiros e riscos marítimos. o resultado operacional foi positivo para grande parte dos grupos, totalizando um montante de r$ 15,5 bilhões no primeiro semestre de 2018. como nos anos anteriores, o grupo de linhas pessoais teve a maior rentabilidade, representando 35% do total. só o mercado de seguro de vida registrou r$ 13,4 bilhões em prêmios emitidos, um desempenho 13% superior se comparado ao primeiro semestre de 2017. com um índice de sinistralidade de 29% nos seis primeiros meses de 2018, 1p.p. abaixo do mesmo período do ano anterior, o mercado de seguro de vida registrou um resultado positivo de r$ 5,4 bilhões no primeiro semestre de 2018. o ramo de automóveis obteve o segundo melhor desempenho do segmento de seguros, com um resultado operacional de r$ 3,30 bilhões no primeiro semestre de 2018, impactado pelo aumento de 13,6% na produção de veículos e o crescimento de 14,4% nas vendas de veículos novos durante o período analisado. a indústria de automóveis registrou r$ 17,2 bilhões em prêmios emitidos nos primeiros seis meses de 2018, resultado 4,9% superior ao primeiro semestre de 2017. a sinistralidade foi de 61,5%, totalizando r$ 10,5 bilhões no semestre, 1,3% abaixo do mesmo período de 2017. “esperamos que, com a maior diversificação e inovação de novos produtos, especialmente no setor corporativo, passaremos a ver, em um futuro próximo, um mix de prêmios ainda mais desconcentrado dos ramos tradicionais e mais variado. segmentos como cyber, responsabilidades e novos tipos de garantias devem liderar esse processo”, comenta pedro farme, vice-presidente de contratos da jlt resseguros. resseguros ao completar dez anos da abertura do mercado de resseguros do brasil, a atividade de resseguradores admitidos e eventuais apresentou um crescimento de 32p.p. em prêmios cedidos com relação à atividade no primeiro semestre de 2017, apresentando um elevado crescimento na atuação do segmento de óleo e gás. os prêmios cedidos em resseguro no primeiro semestre de 2018 atingiram r$ 4,6 bilhões, um crescimento de 2,84% com relação ao mesmo período de 2017. o grupo que apresentou o maior crescimento, óleo e gás, registrou r$ 230,1 milhões em prêmios cedidos, um aumento de 74,4% em relação aos primeiros seis meses do ano anterior. no primeiro semestre de 2018, as resseguradoras registraram um resultado positivo de r$ 367 milhões, 14,4% abaixo do mesmo período de 2017. o grupo que teve o maior decrescimento foi o de riscos de automóveis, em virtude, principalmente, do aumento das comissões de resseguro. o mercado de resseguro de automóveis apresentou um prejuízo de r$ 78 milhões no primeiro semestre de 2018. o percentual de operações proporcionais e facultativas foi de 88,2% ou r$ 4,07 bilhões, enquanto os prêmios não proporcionais foram de r$ 546 milhões. entre os grupos que oferecem resseguro, p&c é o principal com um total de r$ 1,8 bilhão, seguido pelo grupo de linhas financeiras com r$ 782 milhões. “acreditamos que o mercado mostrou resiliência em geração de receitas e resultados mesmo com a economia passando por sua maior crise. a capacidade de capital e técnica instalada no país é grande e adequada para a indústria suportar e aproveitar o momento de expansão esperado para o próximo período do ciclo econômico”, avalia farme.
11/01/2019

8 dicas muito úteis de planejamento financeiro para 2019

  “colocar no papel as despesas previstas para 2019 é o primeiro passo para não se endividar ao longo do ano”, orienta reinaldo domingos, do canal dinheiro à vista. “para quem não tem o hábito de planejar o uso do dinheiro, o momento é agora: a virada do ano é um marco na mudança comportamental”. veja 8 orientações para iniciar 2019 com mais sustentabilidade financeira: 1. coloque no papel coloque no papel os compromissos dos próximos 12 meses, como datas comemorativas, pagamento de impostos (ipva e iptu), matrícula e material escolar, etc. registre o valor previsto a ser gasto com cada uma dessas atividades. claro, os números podem mudar no meio do caminho, mas é importante já ter uma ideia para se programar. 2. anote as parcelas caso tenha parcelas de compras feitas no ano passado e que se estenderão por 2019, elas também devem estar registradas nesse planejamento, para fazer parte do orçamento financeiro dos meses seguintes. 3. fale com a família sente e converse com todos os integrantes da família, inclusive as crianças, para falar sobre os sonhos individuais e coletivos. esse é um passo muito importante para mudar a forma como a família lida com o dinheiro, passando a entender que ele é um meio para realizar sonhos. viajar, trocar de carro, casa ou sair das dívidas são objetivos a serem considerados. 4. pesquise os sonhos procure saber quanto custam e fazer cotações até achar a melhor possibilidade de preços para realizá-los. assim você estará tomando os primeiros passos para realizar sonhos, seus e de sua família. isso é o planejamento, agir com antecedência. 5. poupe dinheiro guarde dinheiro para cada sonho simultaneamente e escolha o melhor investimento de acordo com o prazo de realização de cada um. para os de curto prazo (até um ano), coloquei na caderneta de poupança, para os de médio prazo (de um a dez anos), no cdb, tesouro direto, fundos de investimento, aos de longo prazo (acima de dez anos), tesouro direto, previdência privada e ações são boas opções. 6. reduza despesas façam um diagnóstico financeiro, ou seja, anotem tudo o que for gasto ao longo de um mês, separando as despesas por categorias (energia elétrica, água, alimentação, combustível, telefone, etc.), para saber onde exatamente se pode diminuir ou até mesmo cortar. acreditem, todos nós temos, pelo menos, 20% de desperdício ou exagero nas contas. assim também saberá como está gastando cada centavo do dinheiro. 7. mude o orçamento mensal mude a forma como elabora o orçamento financeiro mensal. a partir de agora, calcule da seguinte maneira: ganho (-) sonhos (-) despesas, isto é, priorize os sonhos e não as despesas, e não mais ganhos (-) despesas = lucro/prejuízo. depois que tirar o valor destinado aos sonhos, com o que sobrar, adeque o seu padrão de vida. 8. fuja da inadimplência caso esteja inadimplente, é necessário fazer uma verdadeira faxina financeira, buscando pela causa do problema. não adianta procurar o credor para pagar sem saber das suas possibilidades, do quanto possui para quitar as parcelas, então pode acabar se enrolando ainda mais. reeduque-se financeiramente para realmente iniciar um novo ano, com uma vida nova.
11/01/2019

Inflação oficial fecha 2018 em 3,75%

 a inflação oficial, medida pelo índice nacional de preços ao consumidor amplo (ipca), fechou 2018 em 3,75%. em 2017, ela havia ficado em 2,95%. os dados foram divulgados nesta sexta-feira (11), no rio de janeiro, pelo instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge). em dezembro, o ipca registrou inflação de 0,15%, taxa maior que a de novembro, que teve deflação de 0,21%. em dezembro de 2017, o indicador havia registrado inflação de 0,44%. fonte: jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/01/665110-inflacao-oficial-fecha-2018-em-3-75.html)

Indústria gaúcha cresce 5,5% em 2018, aponta IBGE


08/02/2019
A indústria gaúcha fechou 2018 com crescimento da produção física 5,5% acima do desempenho de 2017, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Estado ostentou a segunda maior taxa de crescimento, ficando atrás apenas do Pará, com alta de 9,6%. A média do Brasil ficou em 1,1%. A Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional) apontou alta em sete dos 15 locais pesquisados na passagem de novembro para dezembro de 2018, segundo o IBGE. A atividade industrial gaúcha figurou entre as quedas, chegando a recuo de 3,6% em dezembro frente a novembro de 2018, e de 2,3% frente ao mesmo mês de 2017. Entre os setores, veículos automotores lideraram nos 12 meses em expansão. A taxa acumulada ficou em 3,13%, seguido por celular e papel, com 1,28% de crescimento. Já nos dados negativos de 2018, despontam produtos químicos, com recuo de 0,52%, e bebidas com queda de 0,26% e alimentos, com redução de 0,25%. Em dezembro passado frente ao mesmo mês de 2017, veículos mostram melhor desempenho com alta de 1,98%. Já as maiores quedas foram de produtos químicos, -2,52%, e alimentos, de -1,46%.
 
Jornal do Comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/02/669361-industria-gaucha-cresce-5-5-em-2018-aponta-ibge.html)

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989