09/07/2018

Inflação pelo IPC-S reduz alta na primeira semana de julho, divulga FGV

 a inflação calculada pelo índice de preços ao consumidor - semanal (ipc-s) apresentou variação de 1,01% na primeira semana de julho. o resultado é 0,18 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação, quando o índice mostrou variação de 1,19%. de acordo com a fundação getulio vargas (fgv), cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. a maior contribuição partiu do grupo alimentação (1,59% para 1,17%). nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de -1,90% para -10,27%. também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos habitação (1,93% para 1,75%), transportes (1,25% para 0,98%), vestuário (0,20% para -0,26%) e saúde e cuidados pessoais (0,40% para 0,35%). nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens como tarifa de eletricidade residencial (8,83% para 7,74%), gasolina (4,12% para 2,41%), roupas (0,26% para -0,33%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,67% para -0,71%), respectivamente. já os grupos educação, leitura e recreação (0,28% para 0,76%), comunicação (0,32% para 0,42%) e despesas diversas (0,15% para 0,18%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. nestas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: passagem aérea (7,20% para 19,90%), mensalidade para internet (0,67% para 0,99%) e serviço religioso e funerário (0,62% para 0,91%), respectivamente. jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/637255-inflacao-pelo-ipc-s-reduz-alta-na-primeira-semana-de-julho-divulga-fgv.html)
09/07/2018

Petrobras não altera preço da gasolina e do diesel nas refinarias

 a petrobras manteve o preço do diesel e da gasolina comercializada nas refinarias. assim, o preço da gasolina a fica inalterado em r$ 2,0249 e o do diesel, em r$ 2,0316. na sexta-feira, dia 6, a petroleira havia aumentado o preço da gasolina em 1,08%. o preço do diesel, por sua vez, segue inalterado desde o dia 1º de junho. a redução do preço do combustível foi uma das reivindicações dos caminhoneiros na greve feita no fim de maio.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/637248-petrobras-nao-altera-preco-da-gasolina-e-do-diesel-nas-refinarias.html)
09/07/2018

Mercado financeiro aumenta projeção para a inflação pela oitava vez

 a projeção para o índice nacional de preços ao consumidor amplo (ipca) subiu de 4,03% para 4,17%, neste ano. a informação consta da pesquisa focus, publicação elaborada todas as semanas pelo bc, com projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos. para as instituições financeiras, o ipca em 2019 será 4,10% (mesma estimativa há 3 semanas) e 4% em 2020 e em 2021. essas estimativas estão abaixo da meta que deve ser perseguida pelo bc. neste ano, o centro da meta é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. para 2019, a previsão é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. para 2020, a meta é 4% e 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente). para alcançar a meta de inflação, o bc usa como instrumento a taxa básica de juros, a selic, atualmente 6,5% ao ano. para as instituições financeiras, a selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o final de 2018. para 2019, a expectativa é aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano. quando o copom aumenta a selic, objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. quando o copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação. a manutenção da selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação. a projeção para a expansão do produto interno bruto (pib) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - caiu de 1,55% para 1,53%, neste ano. para 2019, a estimativa segue em 2,50%. as instituições financeiras também projetam crescimento de 2,50% do pib em 2020 e 2021. a previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em r$ 3,70 no final deste ano, e em de r$ 3,60, no fim de 2019. para 2020, a estimativa é r$ 3,63. no final de 2021, a previsão é r$ 3,70.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/637242-mercado-financeiro-aumenta-projecao-para-a-inflacao-pela-oitava-vez.html)
09/07/2018

IGP-DI de junho fica em 1,48%, ante alta de 1,64% em maio

 o índice geral de preços - disponibilidade interna (igp-di) registrou elevação de 1,48% em junho, ante um aumento de 1,64% em maio, divulgou nesta segunda-feira (9) a fundação getúlio vargas (fgv). com o resultado, o igp-di acumulou uma elevação de 5,45% no ano, além de avanço de 7,79% em 12 meses. a fgv informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o igp-di. o ipa-di, que representa o atacado, teve alta de 1,67% em junho, após a elevação de 2,35% registrada em maio. o ipc-di, que apura a evolução de preços no varejo, teve um aumento de 1,19% em junho, ante um crescimento de 0,41% em maio. já o incc-di, que mensura o impacto de preços na construção, apresentou alta de 0,97% em junho, depois do aumento de 0,23% em maio. segundo a fgv, o núcleo do ipc-di de junho subiu 0,46%, após um aumento de 0,19% em maio. o núcleo do ipc-di é usado para mensurar tendências e calculado a partir da exclusão das principais quedas e das mais expressivas altas de preços no varejo. ainda de acordo com a fgv, o núcleo acumulou uma elevação de 1,96% no ano e avanço de 3,34% em 12 meses. o período de coleta de preços para o índice de junho foi do dia 1º ao dia 30 do mês.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/637240-igp-di-de-junho-fica-em-1-48--ante-alta-de-1-64-em-maio.html)
09/07/2018

Cobre se recupera, após perdas causadas por tensões comerciais

 os futuros de cobre operam em alta significativa nesta manhã, recuperando-se de perdas geradas por tensões comerciais nas últimas semanas. por volta das 8h35min (de brasília), o cobre para três meses negociado na london metal exchange (lme) subia 0,96%, a us$ 6.369,00 por tonelada. na comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de nova york (nymex), o cobre para entrega em setembro avançava 1,03%, a us$ 2,8530 por libra-peso, às 9h05min (de brasília). nos últimos tempos, o cobre e outros metais foram pressionados por preocupações relacionadas a um embate comercial entre eua e china. na sexta-feira (6), os eua cumpriram a promessa de impor tarifas de 25% sobre us$ 34 bilhões em produtos chineses. no mesmo dia, pequim retaliou com tarifação idêntica sobre bens americanos do mesmo valor. apenas o cobre acumulou perdas de 12,7% ao longo do último mês, enquanto outros perderam ao menos 8% no mesmo período. alguns analistas, porém, acreditam que o movimento recente de liquidação dos metais pode ter sido exagerado. "efeitos comerciais diretos no produto interno bruto (pib) provavelmente causariam impacto limitado na demanda por cobre, a menos que a situação se deteriore para uma guerra comercial entre os eua e o mundo", disseram estrategistas do ing em nota a clientes. além disso, o índice dxy do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, tornando os metais mais atraentes para quem utiliza outras moedas. entre outros metais na lme, o viés era positivo. no horário indicado acima, o alumínio subia 0,86%, a us$ 2.104,50 por tonelada, o estanho avançava 0,31%, a us$ 19.445,00 por tonelada, o níquel ganhava 0,9%, a us$ 14.085,00 por tonelada, e o chumbo aumentava 0,77%, a us$ 2.362,00 por tonelada. jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/637241-cobre-se-recupera-apos-perdas-causadas-por-tensoes-comerciais.html)
06/07/2018

GFT adquire V-NEO, empresa canadense de Consultoria de TI para o segmento de seguros e Guidewire

 a gft, com referência em tecnologias exponenciais para transformação digital e projetos ágeis, aprovou a aquisição integral de todas as ações da v-neo, sediada no canadá. a companhia é uma provedora experiente de serviços de soluções integradas de ti para o setor de seguros e tem entre os clientes inúmeras seguradoras importantes no canadá, bélgica e frança. a v-neo também atua como parceira de serviços para as plataformas de seguros guidewire e oracle oipa. fundada em 2011, a empresa emprega 160 pessoas em suas três unidades, em quebec, toronto, no canadá, e bruxelas, na bélgica. com a aquisição da v-neo, a gft fortalece sua expertise no setor de seguros, expande sua posição de mercado na américa do norte e ganha uma nova localização na bélgica. na assinatura do contrato, marika lulay, ceo da gft, destacou que “a aquisição sustenta nossa estratégia de crescimento internacional e previsão de médio prazo para 2022. o know-how tecnológico e a base de clientes da v-neo são perfeitos para a gft – assim como seus consultores de clientes altamente qualificados na américa do norte e europa e as equipes de desenvolvimento nearshore no canadá”. a v-neo deve gerar receitas de cerca de 15,5 milhões de euros no atual exercício financeiro – 1 de agosto de 2017 a 31 de julho de 2018. espera-se que o lucro antes de impostos (ebt) atinja aproximadamente 2,6 milhões de euros. o preço de transação será pago em dinheiro e as duas partes concordaram pela não divulgação do valor. a transferência total de ações está prevista para o final de julho de 2018. como resultado da consolidação pela primeira vez em agosto de 2018, a gft espera receitas adicionais de aproximadamente 7 milhões de euros para este exercício. devido às despesas relacionadas à aquisição, a v-neo não contribuirá significativamente para os resultados da gft em 2018. reforço no que diz respeito a seguros de vida, propriedade, acidentes e ramos elementares a indústria de seguros está enfrentando enormes desafios em meio ao processo de transformação digital. segundo o gartner, apenas algumas seguradoras em todo o mundo iniciaram sua transformação digital até o momento; e essas mudanças podem levar até dez anos para serem alcançadas. a v-neo possui expertise aprofundada, especialmente em soluções digitais para seguros de propriedades, acidentes e vida. isso inclui consultoria estratégica em todas as etapas, desde o projeto inicial até a implementação de soluções. a empresa possui uma alta taxa de fidelização de clientes nacionais e internacionais, impulsionada por suas soluções corporativas de arquitetura sob medida e projetos para otimização de processos e transformação digital. especialização e prática global guidewire a aquisição permite à gft complementar seu atual portfólio de serviços para seguros com soluções da guidewire. a v-neo já recebeu inúmeros prêmios de inovação por sua integração ágil dos serviços nas soluções guidewire. como um dos maiores provedores de serviços independentes da américa do norte para a plataforma de seguros da guidewire, a empresa atualmente gera cerca de dois terços de sua receita com essa oferta. a v-neo também trabalha em um grande projeto canadense de seguros de vida com a plataforma oracle da oipa. esses serviços serão agora combinados com os serviços de seguros existentes da gft, a fim de expandir sua base de clientes internacionais. inovação no dna de ambas as companhias a v-neo foi a primeira empresa norte-americana a iniciar um “centro de inovação e desempenho em seguros”, projetado especificamente para o desenvolvimento de inovação e o treinamento de funcionários no setor de seguros. o centro coloca em prática o desenvolvimento, a pilotagem e o lançamento de novas soluções de seguros envolvendo todos os aspectos da inteligência artificial e da internet das coisas. combinado com os atuais laboratórios digitais de inovação da gft, o gerenciamento da inovação dentro da gft será aprimorado e levado a um próximo nível. diversificação de portfólio de cliente alain lamothe, ceo da v-neo, afirmou que “com nosso profundo know-how de seguros e nossas habilidades tecnológicas, não somos apenas uma combinação perfeita, mas também ajudamos a diversificar o portfólio de clientes da gft com nossos relacionamentos duradouros com nossos clientes. a presença internacional da gft nos permite reconhecer as tendências globais do setor em um estágio inicial, aproveitando o potencial do mercado em conjunto, tanto com nossos clientes quanto com nossos parceiros”. complementou marco santos, managing director para latin america da gft, que “a aquisição da v-neo é um passo decisivo para posicionar a gft como um dos principais parceiros de ti para a transformação digital da indústria de seguros, como já é para o setor bancário. “ fonte: redação e-commerce news  
06/07/2018

Prêmios de seguro globais aumentaram 1,5% para cerca de US$ 5 trilhões em 2017

 os prêmios de seguro globais aumentaram 1,5% em termos reais,1 para quase us$ 5 trilhões em 2017, após um aumento de 2,2% em 2016. os prêmios de vida globais aumentaram 0,5% em 2017, enquanto os prêmios de não vida globais aumentaram 2,8%. o crescimento em ambos os setores de vida e não vida desacelerou. a queda nos prêmios de vida em mercados avançados, como eua e europa ocidental, é a principal causa do entrave no crescimento geral dos prêmios globais. os mercados emergentes, especialmente a china, continuam impulsionando o crescimento. o swiss re institute espera que os prêmios globais de não vida aumentem, liderados pelos eua, onde a economia está se fortalecendo. para os próximos anos, ele também prevê a melhora dos prêmios de seguros de vida globais, impulsionada pelo forte crescimento na china. a publicação anual do relatório sigma de “seguro mundial” sobre tendências de crescimento e volumes de prêmios revela que a expansão dos prêmios globais desacelerou de 2,2% em 2016 para 1,5%. os prêmios de vida globais aumentaram para cerca de us$ 2,7 trilhões em 2017, enquanto os prêmios globais de não vida aumentaram para cerca de us$ 2,2 trilhões. o crescimento em ambos os setores de vida e não vida desacelerou. a queda nos prêmios de vida em mercados avançados, como eua ou europa ocidental, é a principal causa do entrave no crescimento de prêmios de vida. um crescimento mais lento, mas ainda sólido nos mercados emergentes levou à desaceleração no setor de não vida. no entanto, os mercados emergentes, especialmente o chinês, permanecem como impulsionadores importantes do crescimento de prêmios globais. a china continuou a estar entre os mercados de seguros que mais crescem no mundo, especialmente no setor de vida. o crescimento de prêmios nos mercados emergentes continua nos mercados emergentes, os prêmios de vida e não vida aumentaram respectivamente, 14% e 6,1% em 2017. no setor de não vida, o crescimento desacelerou em 2017, mas ainda se manteve robusto. a desaceleração nos mercados emergentes foi em grande parte impulsionada pela china, onde a velocidade de expansão foi reduzida pela metade para uns ainda sólidos 10%. os mercados de seguros em países emergentes superaram por décadas as economias correspondentes, dados os atuais baixos níveis de penetração de seguros. nestes mercados, as rendas, rendimentos e bens de indivíduos e empresas estão crescendo, o que acaba impulsionando a demanda por seguros (figura 1 abaixo, painel direito). a china continua a ser a principal engrenagem de crescimento nos mercados emergentes. em comparação com 2016, o crescimento desacelerou na região, mas ainda se manteve robusto. o mercado de vida chinês cresceu 21% em 2017, bem acima da sua média de dez anos de 14%. atualmente, a china é o segundo maior mercado de vida do mundo, atrás apenas dos eua, e representa mais da metade dos prêmios de seguros de vida dos mercados emergentes, ou 11% do total mundial. os prêmios nos mercados avançados enfrentam ventos desfavoráveis o crescimento de prêmios de não vida nos mercados avançados permaneceu globalmente estável em 2017, em 1,9%. nos eua, o setor de não vida se beneficiou de taxas mais elevadas no setor automotivo, enquanto os preços nas linhas comerciais permaneceram sob pressão. os prêmios de vida nos mercados avançados, que caíram 2,7% em 2017, foram a principal causa do entrave no crescimento global. o mercado de vida norte-americano recuou 3,5%, impulsionado por fatores do lado da oferta, como a saída de participantes de negócios de poupança para aposentadoria, incluindo anuidades variáveis. nos mercados asiáticos avançados, que caíram 2,1%, as expectativas de taxas de mortalidade mais baixas têm postergado as compras de seguros de vida no japão. o setor de vida nos mercados avançados não conseguiu se recuperar da crise financeira de 2008. fatores bem documentados, como ambiente econômico deprimido, salários estagnados combinados com baixas taxas de juros e regimes de solvência oscilantes, tornaram os produtos de poupança tradicionais com taxas de juros garantidas pouco atrativos para os clientes e seguradoras de vida. análise de 50 anos dos padrões de crescimento e penetração de seguros há 50 anos, o sigma vem publicando dados sobre os mercados de seguros globais, mostrando as mudanças nos padrões de crescimento e os desenvolvimentos da penetração de seguros. desde 1960, a ásia demonstrou contribuir de forma significativa para o crescimento de prêmios em duas ocasiões. no final dos anos 70 e no início dos anos 80, o seguro de vida no japão estava com uma alta demanda devido aos níveis elevados de poupanças familiares e a um sistema de previdência social menos desenvolvido no país para aposentadorias por idade. desde a crise financeira global de 2008/2009, a ásia emergente, liderada pela china, tornou-se a maior fonte de crescimento nos mercados de seguros globais, embora os níveis de penetração tenham aumentado gradualmente em todas as regiões. desde 1960, a estrutura regional dos mercados de seguros globais vem se deslocando da europa e américa do norte para a ásia avançada e emergente. jérôme haegeli, economista-chefe do swiss re group declara, “naquela época, a ásia avançada e emergente contabilizava 5% dos prêmios de seguro globais, contra 22% em 2017. na próxima década, é provável que esse deslocamento para a china continue. dado o número impressionante de iniciativas de infraestrutura em andamento na china, a contribuição chinesa para os prêmios de seguro mundiais pode novamente exceder as expectativas. nas décadas seguintes, outros mercados como índia, indonésia, brasil, méxico, paquistão, nigéria e quênia podem se tornar mais importantes”. ao longo do tempo, a penetração (prêmios/pib) tem aumentado consistentemente em economias emergentes. entretanto, a penetração de não vida praticamente estagnou nos mercados avançados desde a virada do século, enquanto tem estado em uma tendência de declínio no setor de vida dos mercados avançados. perspectivas de mercado para prêmios globais de vida e de não vida para os próximos anos, o swiss re institute prevê o aumento dos prêmios de seguros de vida globais, impulsionado pelo forte crescimento na china. no entanto, a rentabilidade continua sob pressão devido às taxas de juros baixas, ao aumento da concorrência e às alterações regulatórias. jérôme haegeli diz, “o ambiente contínuo de taxas de juros baixas permanece sendo uma grande preocupação para a rentabilidade das seguradoras de vida e sua capacidade de oferecer produtos de seguros de vida de longo prazo que sejam atrativos, especialmente em combinação com tipos de solvência ii de estruturas reguladoras”. o swiss re institute também espera que os prêmios globais de não vida cresçam, liderados pelos mercados avançados, como os eua, onde a economia está se fortalecendo. embora os mercados de seguros em países emergentes tenham superado solidamente as economias correspondentes por décadas, o swiss re institute estima que, nos próximos anos, os mercados avançados contribuirão com mais da metade dos prêmios adicionais em termos absolutos. fonte: redação e-commerce news  
06/07/2018

Susep indeferiu 20% dos processos de recadastramento

 os dados mais recentes divulgados pelo ibracor nesta terça-feira (03 de julho) sobre o recadastramento de corretores de seguros, pessoas físicas, apontam um dato impressionante: mais de 20% dos processos analisados até agora foram indeferidos pela susep. de acordo com a autorreguladora, do total de 55.155 processos, 10.493 foram indeferidos. isso significa que esses corretores de seguros estão sem registro e assim permanecerão até que regularizem sua situação na autarquia, o que deve ser feito através de uma nova solicitação de recadastramento por meio do seguinte endereço eletrônico: https://www2.susep.gov.br/safe/menumercado/cadastrocorretores/iniciopesfis.asp?modulo=rf o ibracor divulgou ainda que 43.909 pedidos de recadastramento foram aprovados até agora. além disso, 355 processos ainda estão em “em exigência”, “exigência preliminar” ou “revisão segunda exigência” e 284 não foram finalizados pelos próprios corretores de seguros. para os casos de pedidos não finalizados, o ibracor recomenda que os profissionais nessa situação verifiquem se está correto o preenchimento dos dados nos campos indicados. feito isso, basta clicar em salvar o cadastro e verificar o recebimento de dois e-mails da susep. o primeiro e-mail informará o número do seu pedido e o segundo e-mail trará um link, no qual o solicitante deverá clicar para realizar a confirmação do seu pedido e poder continuar com o processo. a não finalização do pedido, no prazo de até 60 dias, acarretará o cancelamento da solicitação, conforme prevê a circular 552/17 da susep. fonte: cqcs
06/07/2018

Almoço do SindSeg discute cenário do seguro no Rio Grande do Sul

  entidade sindical reúne operadores do mercado, em porto alegre o mercado gaúcho de seguros reúne-se há 70 anos em almoços mensais organizados pelo sindicato das seguradoras do rio grande do sul (sindseg/rs). nesta quinta-feira (28), porto alegre seria palco de palestra com o superintendente da superintendência de seguros privados (susep), joaquim mendanha. no entanto, imprevistos impediram que isso acontecesse. os operadores do seguro no rio grande do sul aproveitaram o momento para debater diversas questões do cenário segurador no rio grande do sul. a discussão veio em momento oportuno, afinal, o legislativo estadual segue com os trabalhos da cpi das seguradoras veiculares. conforme noticiado por jrs, a comissão parlamentar de inquérito apura a existência de um cartel de oficinas, criado, supostamente, para controlar o mercado. é apurado ainda o uso de peças não autorizadas e o fomento à criminalidade através da venda de sucatas e veículos salvados em leilões. também será investigado crime contra a ordem tributária por circulação de mercadorias.

Previdência Privada PGBL ou VGBL: qual a melhor opção para você?


09/01/2019

Com tantas discussões sobre o futuro da Previdência Social, muitas pessoas tem medo de pagar por algo que não sabem se irão receber futuramente. Ou ainda, há quem deseje o investir seu dinheiro para ter uma aposentadoria (extra) no futuro. Embora existam muitas outras opções de investimentos bem mais rentáveis, a Previdência Privada é uma boa opção para quem não quer se preocupar, e ao mesmo tempo, deseja investir. Entretanto, mesmo assim é preciso ter um conhecimento mínimo sobre o assunto. Ou seja, ao contratar um plano de Previdência Privada, você precisará decidir entre PGBL ou VGBL. E agora? Neste post, nós te ajudaremos a decidir!

Funcionamento da Previdência Privada

Basicamente, o cliente faz um contrato com o banco ou instituição financeira, o qual determina o tempo de pagamento e o valor a ser pago por mês. Assim, mensalmente uma quantia deve ser depositada em uma conta, pelo tempo determinado, caracterizando o período de investimento. Depois, o indivíduo passa a receber uma renda mensal, que é o período de benefício. A instituição financeira é responsável por aplicar seu dinheiro e cuidar dos rendimentos, e você, obviamente, paga uma taxa por esse serviço.

 

O que é o PGBL?

O Plano Gerador de Benefício Livre (conhecido pela sua sigla PGBL) é uma boa opção para quem declara imposto de renda no modo completo e paga tributações.  Basicamente, o cliente pagará à instituição a taxa de administração, que como dito anteriormente, é pelo trabalho de “cuidar” do seu investimento. Também paga-se ao corretor uma taxa de carregamento, mas ela pode estar isenta em alguns planos.

O resgate do seu investimento pode ser feito de uma vez só ou através de renda mensal. As tributações ocorrem durante o período de investimento e também no pagamento, sobre todo o valor investido e rendimentos. Pode-se deduzir do imposto de renda até 12% da renda bruta anual, e por isso, o plano só é vantajoso aos que declaram IR.

O que é VGBL?

O Vida Garantidor de Benefício Livre (conhecido pela sigla VGBL) é uma boa opção para quem não precisa declarar imposto de renda. Da mesma forma que no anterior, há um período de investimento, seguido do resgate. O que muda neste plano são as tributações! Diferentemente do PGBL, agora o investidor só paga encargos sobre o rendimento, e não mais sobre todo o valor investido.

Qual escolher?

Em resumo, pode-se dizer que o VGBL é uma excelente opção para quem deseja investir em previdência privada, e declara o imposto de renda na forma simples ou não precisa fazê-lo e é remunerado por lucro (isento) e pró-labore, por exemplo. Já para os que declaram o IR completo e pagam as tributações, a melhor escolha é o PGBL.  Além deste fator, é essencial conhecer a proposta da instituição financeira. Por exemplo, a tabela progressiva, cobrança de taxas, e outros pontos que irão influenciar em seu investimento!

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989