14/09/2018

União Seguradora comemora 105 anos.

 o grupo aspecir esteve no piquete da rede pampa, dia 13, para homenagear a união seguradora que comemora 105 anos no dia 20 de setembro. como uma típica gaúcha, a empresa festejou com um excelente churrasco e uma boa prosa ao lado de amigos, colaboradores e parceiros. para milton machado, o segredo da longevidade é o trabalho feito com simplicidade e dignidade, uma equipe de confiança e a parceria dos corretores. “vida longa à união seguradora!” presentes ao evento: o presidente milton machado, o diretor júlio machado, carlos alfredo radanovitsck, maurício farias, joão lock, antônio coutinho, marco rocha, ilton manique, samantha valle, sérgio sokal, thiago lopes estevem, renata ribeiro, patrícia schoffen, elizângela canello, raquel chaves coutinho, janete roque coronel, deise darski, regina simões e rita stalbaum santos.   
12/09/2018

Seguro DPVAT: de janeiro a julho, Seguradora Líder identificou mais de 6,7 mil pedidos indevidos

 a seguradora líder continua obtendo resultados expressivos no combate às fraudes contra o seguro dpvat. de janeiro a julho, foram identificados 6.727 pedidos indevidos de indenização, o que representa uma excepcional média de cerca de 32 fraudes evitadas a cada dia. de acordo com a seguradora líder, do total, 23,6% se concentraram no ceará, estado que aparece em primeiro lugar no ranking brasileiro de fraudes ao seguro dpvat, seguido por são paulo e pernambuco, onde foram identificados 23% e 6,7% dos pedidos indevidos, respectivamente. vale destacar o apoio da sociedade no combate às fraudes, o que se reflete no número expressivo de 243 denúncias realizadas no canal de denúncias no site da seguradora líder de janeiro a julho. desde o início da operação no site, em 2011, já foram recebidas 3.126 denúncias. os números apurados foram comemorados pelo diretor-presidente da seguradora líder, ismar tôrres, para quem a atuação no combate às fraudes é um importante instrumento de proteção para que o seguro dpvat continue atendendo a quem de fato tem direito ao benefício. “os números do nosso intenso combate às fraudes ilustram que a atuação firme da companhia tem garantido que o seguro seja pago a quem é de direito. continuamos contando com a colaboração de toda a sociedade para denunciar casos suspeitos através dos canais gratuitos disponibilizados pela seguradora líder, como o canal de denúncias”, afirmou o executivo. outro ponto a destacar é que, de janeiro a julho, as iniciativas proativas da seguradora líder de encaminhamento de notícias-crime para os órgãos competentes já resultaram em 30 sentenças condenatórias; 46 condenados; 22 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe e 18 prisões em todo o brasil. a seguradora líder esclarece que qualquer pessoa pode denunciar casos suspeitos relacionados à indenização do seguro dpvat. as denúncias podem ser feitas por meio do 0800 022 12 05 ou no canal de denúncias, disponível através do link: https://www.seguradoralider.com.br/contato/denuncia-de-fraudes. as ligações são gratuitas e, em nenhum dos dois canais, é necessário se identificar. fonte: cqcs
12/09/2018

Confira os estados onde há vencimento do Seguro DPVAT no mês de setembro

 em alguns estados do brasil, o calendário de pagamento do seguro dpvat, associado à cota única do ipva, vai até o final do ano. neste mês de setembro, o prêmio do seguro dpvat vence para proprietários de veículos com diversos finais de placas e categorias de 10 estados brasileiros: amazonas, bahia, goiás, pará, paraíba, piauí, rondônia, santa catarina, sergipe e tocantins. a consulta aos calendários de pagamento, por final de placa, pode ser feita aqui. de contratação anual obrigatória por todos os proprietários de veículos automotores de via terrestre sujeitos a registro e licenciamento, o valor do seguro dpvat varia de acordo com as categorias dos veículos e o vencimento acompanha o da cota única do ipva. em caso de veículos isentos do ipva, o pagamento do dpvat deve ser feito juntamente com o emplacamento ou no momento do licenciamento anual. somente de janeiro a agosto, mais de 50 milhões de bilhetes do seguro dpvat foram pagos em todo o brasil. o pagamento do seguro dpvat é condição obrigatória para o licenciamento anual dos veículos. além disso, ao manter o seguro em dia, o proprietário garante a sua indenização e a de mais de 208 milhões de brasileiros em caso de acidente de trânsito. a seguradora líder esclarece que, em eventuais casos de atraso no pagamento, não há incidência de multas ou juros. entre em https://www.seguradoralider.com.br/pages/saiba-como-pagar.aspx para emitir as guias de pagamento e consultar as informações sobre os bancos arrecadadores de acordo com as regras estabelecidas em cada estado. fonte: seguradora líder
12/09/2018

Resseguradores se reúnem em Mônaco; Swiss Re divulga estudo

 começou no dia e de setembro e termina dia 13, o tradicional evento monte carlo reinsurance rendez-vous, em mônaco. os principais temas da 62º edição são os resseguros ligados a seguros (ils), além das condições do mundo para a próxima grande temporada de renovações dos contratos de resseguros. o mercado de resseguros está à beira de entrar em um período de renascimento impulsionado pela tecnologia e securitização, de acordo com altos executivos da corretora willis re. a divisão de resseguros da aon lançou uma nova equipe da capital advisory, liderada por eric paire, que reconhece a necessidade de oferecer otimização de capital para seus clientes. espera-se que a demanda de resseguro e ils aumente, mas o preço é fundamental, encontramos em nossa primeira pesquisa de mercado global. a reinsurance news e a artemis se uniram para medir a temperatura do mercado global de resseguros no momento mais importante para a indústria. uma das tendências citadas pela swiss re é a queda de lucratividade do segmento de seguros de bens. o grupo divulgou no evento o seu mais recente estudo: “profitability in non-life insurance: mind the gap” (rentabilidade em seguro não vida: cuidado com o desnível), aborda a disparidade em lucratividade existente no setor de seguros não vida. a análise mostra que as seguradoras nos principais mercados ocidentais e japonês precisam melhorar as margens de subscrição (lucro de subscrição como uma porcentagem de prêmios) em cerca de 5 a 9 pontos percentuais se quiserem gerar um retorno sobre o patrimônio (roe) desejado de 10% no futuro. a melhora econômica atual beneficiará a lucratividade futura através de taxas de juros mais altas e retornos de investimento, porém não será suficiente para resolver as diferenças de rentabilidade. ao mesmo tempo, espera-se que os mercados de trabalho mais restritos aumentem os salários e a inflação dos sinistros. deste modo, as taxas de prêmio precisam aumentar mais do que as tendências dos sinistros de modo a obter uma melhoria sustentável em rentabilidade. o setor global de seguros não vida está passando por uma fase vulnerável do ciclo de rentabilidade, refletindo condições de subscrição e desempenho de investimento fracos e alto nível de fundos de capital. o roe do setor caiu para 6% no ano passado, de 7% em 2016 e aproximadamente 9% alcançados anualmente entre 2013 e 2015. a temporada de catástrofes de 2017 pode ter acionado um ponto de inflexão as condições de subscrição continuam fracas em 2018, particularmente em seguros comerciais, mas parecem estar passando por um ponto de inflexão. isto se deve às grandes perdas geradas pelos furacões em 2017, que prepararam o terreno para uma correção de preços. as taxas de prêmio de linha comercial começaram a subir no final de 2017. “as perdas geradas por catástrofes em 2017 desencadearam uma alteração modesta na dinâmica do mercado”, afirma edouard schmid, diretor executivo de subscrição do swiss re group. “no entanto, falta saber o quão forte e sustentável é o endurecimento do mercado. os aumentos das taxas de contas e linhas comerciais de negócios não afetados pelas perdas causadas por catástrofes mantiveram-se abaixo das expectativas iniciais, por exemplo”. nas linhas particulares, já houve um fortalecimento moderado de taxa em vários mercados importantes há alguns anos. apesar do modesto fortalecimento da taxa de prêmio, o sigma mostra que é necessário mais trabalho para melhorar o desempenho de subscrição caso os déficits atuais em rentabilidade precisem ser corrigidos. as margens de subscrição precisam melhorar em torno de 5 a 9 pontos percentuais nos principais mercados ocidentais e japonês para gerar o roe desejado de 10% aos investidores. a evolução econômica por si só não resolverá a diferença de rentabilidade. as taxas de juros e os resultados de subscrição de seguradoras não vida estão inter-relacionados a longo prazo. no passado, durante períodos de taxas de juros mais altas, os retornos de investimento mais elevados eram compensados por perdas de subscrição maiores. https://www.sonhoseguro.com.br/wp-content/uploads/2018/09/captura-de-tela-2018-09-10-%c3%a0s-15.20.13.png em contrapartida, no ciclo atual, os resultados de subscrição pioraram sem o benefício da compensação do aumento de rendimentos, uma vez que a lenta recuperação pós crise resultou em um cenário prolongado de taxas de juros baixas. o crescimento econômico subjacente melhorou fortemente em 2017 e espera-se que continue em 2018, aumentando a pressão sobre a inflação e as taxas de juros. os bancos centrais de vários países já estão retirando o estímulo monetário para evitar um superaquecimento. isto indica uma mudança no ambiente operacional para seguradoras não vida. “sob as atuais condições econômicas mais fortes, esperamos que as taxas de juros nos mercados maduros continuem a subir moderadamente, o que deve apoiar o lucro das seguradoras através de retornos de investimentos mais altos”, declarou jérôme jean haegeli, economista-chefe do swiss re group. no entanto, “a evolução macroeconômica por si só não resultará em melhorias sustentáveis na rentabilidade do setor não vida. a tendência de queda dos rendimentos de investimento diminuiu, mas, ao mesmo tempo, o aumento nas taxas de juros a longo prazo que nós prevemos não é substancial”. além disso, os mercados de trabalho mais apertados estão projetados a empurrar para cima a inflação geral e de sinistros, criando um efeito compensatório sobre a rentabilidade. a crescente inflação de sinistros terá o impacto adicional de supressão da adequação das provisões de sinistros e confirma ainda que, para conseguir uma melhoria sustentável na rentabilidade do setor, será necessário um aumento da taxa de prêmio de seguro que ultrapasse o aumento das tendências de sinistros. em sua análise do ciclo de rentabilidade, este sigma demonstra que, a longo prazo, as companhias de seguro apresentaram um nível de rentabilidade comparável com o de empresas de outros setores. de acordo com essas tendências de lucro, uma comparação de duas décadas do desempenho do mercado de ações das seguradoras não vida sugere uma valorização equivalente ou até mesmo acima da paridade. além disso, as ações de seguradoras demonstram uma baixa correlação de retornos de preços com outros setores da indústria e, consequentemente, oferecem um valor de oferta aos investidores sob a forma de vantagens em termos de diversificação. as tendências subjacentes indicam que os ciclos de subscrição estão fortemente integrados em nível global e a todas as linhas de negócios. a análise no sigma identifica um padrão cíclico geral, como também algumas variações –fora de padrão devido às perdas causadas pelas catástrofes naturais e um grau de tendências de preços específicas de países e linhas de negócios. consequentemente, os negócios não vida em diferentes linhas e países proporcionam vantagens de diversificação ao portfólio de subscrição de uma seguradora. outra constatação é que a duração média do ciclo parece ter aumentado desde o início dos anos 1980, quando os bancos centrais mudaram o foco de suas políticas para combater a inflação e grande parte da indústria de serviços financeiros ficou desregulada. investimentos em tecnologias favorecem a eficiência e segurabilidade. a pressão sobre os rendimentos não vida aumentou o interesse em inovação. os investimentos das seguradoras em tecnologia levaram a ganhos de eficiência e margens comprimidas para o sistema de distribuição em linhas comoditizadas. em algumas linhas de negócios, a adoção da tecnologia também reduziu os custos de sinistros. as vantagens para a rentabilidade são inicialmente ofuscadas pelos ganhos sendo parcialmente repassados aos clientes através da competição e também pelo custo do investimento em tecnologia. a longo prazo, os investimentos em dados e analítica avançada melhoram a eficiência, subscrição e segurabilidade de riscos complexos crescentes, seja através da melhoria em viabilidade, acesso ou melhor capacidade de subscrição de riscos novos e difíceis de quantificar. fonte: sonho seguro
12/09/2018

Projeto de Lei atribui novas responsabilidades à autorreguladora do mercado

 em vias de aprovação pelo presidente da república, o projeto de lei da câmara nº 7, de 2013, que altera a lei nº 4.594, de 1964, dispõem sobre a atribuição da autorreguladora de seguros e resseguros do mercado perante a susep. o texto concede à autorreguladora atribuições no procedimento de cadastramento dos corretores de seguros à susep, instituindo que o profissional solicite à entidade o título de habilitação, antes de encaminhar para a autarquia. no entanto, a proposta não permite que a autorreguladora puna os profissionais, por se tratar de entidade da iniciativa privada. o senado retirou o parágrafo que aborda a obrigatoriedade na contratação do seguro de responsabilidade civil por parte do corretor de seguros. “… além de tal medida restringir o mercado de corretagem, importar no aumento do custo do serviço, o ambiente de controle exercido pela susep é suficiente para dar a segurança de que necessita os usuários”, diz o projeto. após passar pela câmara dos deputados e o senado federal, o projeto agora segue para a sanção presidencial. confira o projeto de lei na íntegra: http://www.sincor.org.br/wp-content/uploads/2018/09/pl_autorreguladora.pdf fonte: comunicação sincor-sp
12/09/2018

Como fidelizar clientes?

 se conquistar clientes já é uma tarefa árdua, fidelizar é ainda mais desafiador. com a concorrência cada vez maior e as distâncias sendo reduzidas ao toque de um clique, o cliente só volta a comprar no mesmo lugar se ficar realmente muito satisfeito. e, não estamos falando apenas da qualidade de um produto ou serviço. com o consumidor mais bem informado e exigente, são muitas as variáveis que ele considera antes de se tornar fiel a um estabelecimento. por esse motivo, listei aqui dicas preciosas para fazer o seu cliente voltar sempre. - invista num bom atendimento: atenda os seus clientes como você mesmo gostaria de ser atendido. cortesia e presteza são fundamentais a qualquer profissional que lide diretamente com o público. portanto, é fundamental investir em bons treinamentos para que sua equipe seja capaz de oferecer um atendimento de excelência, fazendo com que o cliente se sinta à vontade, encontre o que procura e, principalmente, que saia muito satisfeito com a experiência vivida dentro do seu estabelecimento. - entenda bem o seu cliente: com tantas ferramentas tecnológicas disponíveis atualmente, certamente existe uma que atenda exatamente as suas necessidades para entender bem o perfil do seu cliente. sabe-se que as pessoas não querem mais ser tratadas apenas como “mais um”. para dar esse toque especial e refinar o relacionamento, é preciso conhecer o cliente mais a fundo. qual é a frequência que ele visita a sua empresa? o que ele costuma procurar? qual é o comportamento dele dentro da loja? ter essas informações e usá-las de forma estratégica é crucial nos dias de hoje. - aposte na comunicação: além de ser conhecido, seu cliente deseja ser impactado com informações relevantes para ele. nesse sentido, o marketing de conteúdo tem desempenhado um excelente papel, oferecendo informações em cada fase de maturação do cliente. se ele ainda está na fase de busca e pesquisa, um e-book com mais informações sobre o seu produto ou serviço pode agradar. já se ele estiver decidido a comprar, um cupom de desconto pode fazer a diferença entre o sim e o não dele. - crie uma experiência: independentemente se você trabalha com produtos ou serviços, o que todo cliente busca hoje é viver uma experiência de compra. então, aposte em criar momentos memoráveis para ele. mostre ao seu cliente que ele é único e merece ser tratado com muito cuidado. busque pequenas personalizações, como tratá-lo pelo nome, descobrir o motivo dele estar buscando a sua empresa, quais são as expectativas dele, etc. tendo informações valiosas vai ficar muito mais fácil encantar. - dê algo mais aos vips: clientes fiéis não merecem ser tratados da mesma forma que todos os outros. aposte em programas de fidelidade, capazes de fazer com que ele se sinta realmente recompensado por frequentar sempre o seu estabelecimento. ofereça vantagens que vão além do “faça 10 e ganhe 1”. felizmente, hoje há vários recursos que permitem criar vantagens realmente atrativas para o cliente premium, como é o caso do unique club, um clube de vantagens que oferece descontos em milhares de empresas, como restaurantes, livrarias, cinema e universidades. os benefícios vão muito além do seu espaço. - capte depoimentos: não importa se a compra é de baixo ou grande valor. todo cliente gosta de saber que por aquela empresa já passaram clientes tão satisfeitos que foram capazes de deixar o seu depoimento. aqui pode ser uma foto, um vídeo ou um relato escrito. isso aumenta a confiança de quem está chegando agora e motiva novas compras. mantenha os depoimentos sempre atualizados, a fim de que o cliente que volta, veja que há cada vez mais clientes satisfeitos ali. seguindo todas essas dicas, as chances de o seu cliente voltar e se tornar fiel aumentam consideravelmente. buscar um concorrente nem vai estar nos planos dele. sendo bem cuidado e muito mimado, nenhum cliente vai deixar de consumir o que você tem a oferecer. afinal, você não vende apenas produtos ou serviços. você entrega benefícios e valor. fonte: portal nacional de seguros por antônio bigaton é administrador de empresas formado pela faap e sócio diretor da company group.
12/09/2018

70 anos do Clube da Bolinha

  a essência do clube da bolinha continua a mesma, inclusive uma certa aura de mistério que o cerca... mas é uma entidade formal, que tem tudo para continuar por mais 70 anos! o clube da bolinha de são paulo está completando 70 anos de idade. foi fundado no dia 30 de agosto de 1948 por dimas de camargo maia, que o conduziu com mão de ferro e muito talento durante vários anos. a ideia atrás do clube da bolinha era a possibilidade de encontro das lideranças do mercado de seguros num ambiente fora das companhias e dos órgãos de classe, com a proposta de trocar ideias numa reunião agradável e capaz de permitir que todos se encontrassem e se manifestassem durante um jantar mensal congregando amigos. durante muitos anos, o clube da bolinha foi uma entidade sem personalidade jurídica. existia, funcionava, tinha sócios, as pessoas pagavam suas contribuições, mas não havia um clube formalmente registrado, com atas, contabilidade e demais formalidades legais. ele funcionava na gaveta e nas anotações do roberto luz, o secretário executivo do sindicato das seguradoras do estado de são paulo, que, durante algumas décadas, praticamente até morrer, além do sindicato, controlou o clube da bolinha e outras entidades mais ou menos dependentes do sindicato. o roberto luz providenciava tudo para a realização do jantar mensal e levava o uísque que seria bebido na noite e as bolinhas que dão o nome ao clube e que são utilizadas até hoje para a eleição dos novos sócios – brancas a favor do ingresso e pretas, contra. durante muito tempo, o clube da bolinha foi uma entidade misteriosa, pouco conhecida, da qual não se falava muito, mas que, pela qualidade de seus sócios, tinha forte influência nos destinos do setor de seguros. o ingresso no clube da bolinha tinha um ritual bastante formal e o candidato era convidado por um dos sócios para participar de alguns jantares, antes de ter o nome indicado (sem seu conhecimento) para ser sócio do clube. num dos jantares a candidatura era formalmente apresentada e os sócios recebiam duas bolinhas, uma branca e outra preta, para que uma delas fosse depositada anonimamente num saco, do qual sairia o resultado da eleição, que era confirmada ou não, dependendo do número de bolas pretas que fossem contadas na apuração. o ritual não era mera formalidade. mais de um candidato recebeu bola preta e não foi aceito como sócio, daí a importância das eleições não serem comentadas fora do círculo de sócios: não havia razão para ferir sensibilidades. a regra ainda se mantém e os candidatos a sócios são submetidos ao veredito das bolinhas. se bem que a possibilidade de alguém não ser aceito exista, atualmente, as conversas e negociações para a apresentação de um candidato fazem com que os que cheguem a ser formalmente apresentados tenham seu ingresso invariavelmente confirmado na noite da eleição. até os primeiros anos da década de 2000, o clube da bolinha não aceitava mulheres entre seus sócios. foi nessa época, após um longo e complexo trabalho de convencimento, que as primeiras mulheres foram eleitas, quebrando a antiga regra e abrindo as portas para que outras profissionais do setor de seguros se tornassem sócias. hoje, o clube da bolinha tem personalidade jurídica, contabilidade, diretoria formalmente eleita e segue todos os atos formais que são exigidos de um clube. sua essência continua a mesma de setenta anos atrás. é um encontro mensal, o mais informal possível, para seus sócios, todos profissionais ligados ao setor de seguros, se reunirem num jantar agradável, num restaurante gostoso e, durante a noite, conversarem sobre os mais diversos assuntos, estreitarem os laços de amizade e incrementarem a troca de informações. o clube da bolinha ainda tem uma certa aura de mistério. como é seu funcionamento, quem são os sócios, como são escolhidos, como as reuniões são marcadas, os restaurantes selecionados, o que é discutido… é bom que seja assim, se não for por nada, em nome da tradição e da formalidade essenciais para o funcionamento harmonioso da sociedade. mas, mais do que tudo, o clube da bolinha é a solução perfeita para o encontro mensal, num jantar sem compromisso, de um grupo de amigos. feliz aniversário, clube da bolinha! que sejam os primeiros 70 anos de muitos outros 70 anos que irão se seguir. fonte: estadão
12/09/2018

Nova plataforma quer dar transparência a licitações...

 a disponibilidade em diários oficiais de dados das licitações brasileiras e contratos de empreiteiras com o poder público não impediu o desenvolvimento do esquema de corrupção deflagrado na operação lava jato. apesar de públicas, as informações muitas vezes não são acessíveis - por estarem descentralizadas, com linguajar extremamente técnico, ou de difícil acesso pelo público em geral. é esse um dos pontos que o instituto observ pretende mudar ao criar uma plataforma online, aberta, que concentre os documentos das licitações de obras, traduza os requisitos do projeto e monitore os editais públicos. o projeto brasileiro teve sua primeira apresentação pública em washington nessa terça-feira, 11.  até então, as apresentações eram reservadas a convidados. em uma sala que acomodaria 30 pessoas no brazil institute do think tank wilson center, cerca de 50 curiosos acompanharam a apresentação. o projeto é tocado pelo instituto ethos, a empresa de tecnologia jus brasil, a consultoria de estratégia global albright stonebridge group e o escritório de advocacia barros pimentel, que pretendem criar até novembro o instituto. a ideia é disseminar conteúdo sobre as licitações e estimular o engajamento da sociedade para melhorar as práticas atuais, combater a corrupção e buscar qualidade em licitações públicas. a ideia começou a ser gestada dentro da odebrecht, a gigante do setor que foi obrigada a pagar quase r$ 7 bilhões a autoridades públicas em um acordo de leniência depois do descobrimento do esquema de pagamento de propinas. o engajamento em projetos de combate à corrupção é uma das obrigações que a empreiteira se impôs como condições da leniência. o objetivo das conversas nos eua é levantar dinheiro para o projeto que deve custar r$ 10 milhões por ano. até agora, fundações com verba para investir em combate à corrupção e empresas de diversos setores, como seguradoras, como seguradoras, demonstraram interesse em financiar o projeto. fonte: o estado de s. paulo
12/09/2018

CEO de Insurtech marca presença em painel sobre mudança no comportamento do consumidor

 o debate aborda a forma que o relacionamento com o cliente tem mudado e como as empresas devem se preparar para atendê-los. ceo e fundador da thinkseg, andré gregori esteve no congresso nacional de relacionamento empresa-cliente (conarec), um dos maiores eventos de relacionamento com clientes do mundo. o evento trata a respeito das mudanças trazidas pelo “pós-consumidor” e também sobre como as empresas podem se preparar para esse novo estágio. o ceo dividiu o palco com presidentes de empresas como a accenture digital, telhanorte, o grupo carrefour brasil e claro tv. andré gregori conversou com os presentes sobre como o modelo de negócios da sua empresa é totalmente digital e nasceu justamente para atender esse novo tipo de consumidor. a questão levantada fez parte do painel “meu consumidor não é mais o mesmo. o que significa ‘comprar’?”, através do qual o empresário explicou o conceito de “personas”, o qual está no centro do modelo de negócios da thinkseg. “primeiro identificamos as diferentes personas – não apenas pelo perfil, mas também pelo comportamento delas – e com base nessas características construímos produtos de seguro exclusivos e sob medida, junto às principais seguradoras do mercado”, explica. o evento é voltado para executivos e lideranças, além de reunir milhares de profissionais que buscam inovação, ideias e inspiração para aprimorar o relacionamento com seus clientes. um dos eventos mais procurados pelo público corporativo, reúne temas que sensibilizam a agenda corporativa com a diversidade e qualificação dos palestrantes e congressistas. fonte: portal nacional de seguros

União Seguradora fecha o ano com novos negócios


14/12/2018
A União Seguradora recebeu a Uperformance Assessoria & Consultoria em Seguros em sua sede em Porto Alegre. O diretor comercial João Lock, Antônio Coutinho, técnica, e Marco Rocha, comercial, receberam Domingos Costa, Ailton Lopes e Estela De Moura Rey para iniciar uma parceria com prospecção de novos negócios. Segundo os participantes, a reunião foi produtiva em ideias que, com certeza, confirmam o sucesso dessa parceria para 2019. O diretor João Lock e sua equipe agradecem a visita da Uperformance e encerram o ano com excelentes perspectivas.

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989