23/07/2018

Em 18 anos, poupança para os filhos pode passar dos R$ 185 mil

 correio simulou que aplicações podem ajudar a garantir uma vida financeira mais tranquila logo quando o filho guilherme, hoje com 8 anos, completou o primeiro mês, o dentista gustavo santana ligou para o gerente do banco e contratou um plano de previdência privada. quando marina, hoje com 6 anos, nasceu, fez a mesma coisa. “faço por mês um depósito de r$ 300 para cada um. eu não mexo por nada. é preciso uma disciplina muito grande para poupar para o futuro deles”, afirma o dentista. assim como ele, muitos pais e mães cultivam o mesmo sonho, o de ver o filho bem de vida. ainda que para muitos a folga no orçamento seja quase um milagre, a atitude de começar a poupar de olho no futuro da criança não está tão distante assim.  com a ajuda do educador financeiro e colunista da carteira correio edísio freire, simulamos os investimentos que podem ajudar a garantir uma boa reserva lá na frente . a metodologia levou em consideração três faixas de valores para depósitos mensais durante 18 anos: r$ 50, r$ 100 e r$ 300. porém, há aplicações, como o tesouro direto, por exemplo, onde é possível começar a investir com apenas r$ 30. com base no cálculo, depósitos mensais no tesouro direto pós fixado (ntnb ipca +), com taxa estimada em 0,7800%, somariam no período um investimento total de r$ 84.291,97. após o desconto do imposto de renda, o saldo chega a r$ 185.011,14 - quase r$ 100 mil a mais que o valor depositado. comparado com o ativo mais tradicional como a poupança, o tesouro direto rende r$ 50 mil a mais.  “quando se trata de investimento em longo prazo, mesmo que o valor seja pequeno, é importante que se busque produtos com rentabilidade melhor, que rendam 100% acima do cdi (certificado de depósito interbancário)”, destaca freire.  os cinco principais investimentos poupança, por edval landulfo (economista e educador financeiro) 1. como funciona?   a conta poupança é uma jeito de começar a guardar o seu dinheiro, não importa a quantia inicial a ser depositada. também vale lembrar  que a taxa será a mesma para todos os bancos, portanto, não faz diferença onde você decide abrir a conta, uma vez que ela renderá da mesma forma.  2. qual o perfil de investidor?  para quem inicia uma reserva e quer uma opção mais tradicional e segura, ainda que não seja o ativo com o melhor rendimento. para adquirir os títulos, é necessário fazer um cadastro em uma corretora que pode ser do próprio banco onde o investidor tem conta. indico procurar corretoras que não cobram para fazer a intermediação.   3. quais as vantagens?    não há cobrança de taxas de manutenção da conta poupança. também tem liquidez imediata: se você precisar poderá retirar sem burocracia. 4. como otimizar esses rendimentos ao longo de 18 anos? inicialmente, comece a guardar o dinheiro na poupança. com um tempo, você terá uma quantia maior e assim poderá migrar essa reserva para outros investimentos seguros e com possibilidades de retorno bem melhores. 5. a  que o investidor precisa ficar atento?  desde o mês de maio de 2012, a regra para o rendimento da conta poupança é a seguinte: quando a taxa selic ficar igual ou acima de 8,5% ao ano, a caderneta renderá 6,27% ao ano (0,5% ao mês) mais a taxa referencial (tr), que é um tipo de juro variável definido pelo governo. ficando abaixo de 8,5% ao ano, a caderneta renderá o equivalente a 70% da taxa selic.    previdência privada, por angelo guerreiro (administrador e educador financeiro) 1. qual o perfil de investidor?  hoje existem produtos para todos os gostos. o mais comum ainda é o fundo de renda fixa.   2. como funciona?   na verdade, a previdência privada é um fundo de investimento como outro qualquer, com algumas regras que diferem de outros fundos. a grande diferença está no ponto fiscal e tributário, justamente para incentivar essa poupança de longo prazo.  3. quais as  vantagens? existem modelos de pgbl (plano gerador de benefício livre), por exemplo, que se você tem imposto de renda retido na fonte, o que você contribuiu pode ser deduzido da sua base de cálculo. além disso, as alíquotas que forem incidindo sobre os seus resgates podem ser decrescentes caso sejam no modelo  regressivo de tributação. ela começa  com 35% e chega a 10% sobre aquele depósito quando completam 10 anos. 4. como otimizar esses rendimentos ao longo de 18 anos? busque um produto barato distribuído pelas plataformas, colocando pitadinhas de ações ou fundos multimercados. aconselho e faço desde que minhas filhas  nasceram. 5. a que o investidor precisa ficar atento?  é preciso saber o preço que a administração disso vai custar. qual a taxa de administração e a taxa de carregamento deste fundo? hoje, existem vários fundos com taxas mais baixas e sem taxas de carregamento, só que a grande maioria deles está nas plataformas digitais. já vi situações nas quais após 20 anos entre o  produto de um banco desses e uma plataforma digital - para onde ele estava migrando - era mais de r$ 1 milhão  de diferença acumulada ao longo de 20 anos.    tesouro direto, por meire cardeal (educadora financeira) 1. como funciona?   com os títulos públicos do tesouro direto, pode-se investir com valores a partir de r$ 30. antes de sua criação, somente as instituições financeiras tinham acesso, pois esses títulos compõem as carteiras de fundos de investimentos que são ofertados pelas instituições financeiras. 2. qual o perfil de investidor?  principalmente para investidores mais conservadores ou com perfil moderado, pois os retornos ficam próximos  a 100% do cdi, mas isso precisa ser avaliado caso a caso. para começar a investir é preciso saber a modalidade de cada título, características quanto ao prazo, a taxa de juros que  pagam e quando pagam para que o investidor possa escolher de acordo com seu perfil. analise seu planejamento de vida, disponibilidade do recurso e faça também um estudo de mercado e de suas perspectivas. 3. quais as  vantagens?    baixo risco,  boa rentabilidade, liquidez diária. é uma excelente opção para longo prazo, basta escolher a modalidade apropriada, como os títulos indexados ao ipca (índice de inflação oficial do país), por  exemplo, que pagam uma taxa fixa mais a variação da inflação do período. 4. como otimizar esses rendimentos ao longo de 18 anos?  com a escolha correta da modalidade do título, com o reinvestimentos dos juros, além de aportes mensais.  5. a  que o investidor precisa ficar atento?  na escolha correta do título de acordo com os seus objetivos e disponibilidade dos recursos.  no caso de um eventual resgate antes do vencimento, a taxa prometida na data do vencimento do título em um resgate antecipado será a taxa de mercado naquele momento.  cdb, por antônio carvalho (professor e educador financeiro) 1. como funciona?   o certificado de depósito bancário (cdb) é uma aplicação de renda fixa de baixo risco, pois é segurada pelo fundo garantidor de crédito (fcc) até o limite de r$ 250 mil por cpf ou cnpj. a maioria das instituições financeiras estabelece r$ 500 como valor médio mínimo para iniciar. 2. qual o perfil de investidor?  é uma modalidade escolhida por poupadores e investimentos conservadores, pois o risco é baixo. é uma opção interessante para financiamento de estudos de filhos, aquisição de imóveis, custeio de intercâmbios.  3. quais as  vantagens?    entre elas está o baixo risco. também pode-se começar com pouco, não há obrigatoriedade de depósito regular mensal e as modalidades de renda variável permitem resgate a qualquer momento sem grandes prejuízos. 4. como otimizar esses rendimentos ao longo de 18 anos? para otimizar qualquer aplicação ou investimento é  necessário ter disciplina e manter a regularidade, ou seja, criar e manter o hábito de fazer depósitos mensais. 5. a que o investidor precisa ficar atento?  como incide imposto de renda (ir) sobre os rendimentos do cdb, o investidor deve escolher sempre a tabela regressiva, na qual a alíquota é maior no início (27,5%) e menor no longo prazo (15%). assim, na época do resgate, a base de cálculo do imposto de renda será a menor. analise  o investimento  e também o cenário econômico. algumas modalidades que parecem mais vantajosas, no longo prazo, podem ser as piores escolhas. por isso, busque a instituição financeira que pratique as menores taxas do mercado. fundo multimercado, por jusivaldo almeida  (vice-presidente da associação brasileira de educadores financeiros/ abefin) 1. como funciona?    o fundo de investimento multimercado opera como uma espécie de condomínio que reúne vários investidores, com o objetivo de alcançar ganhos financeiros em vários mercados, tentando atingir rentabilidades em cenários econômicos com tendência (tanto de queda como em alta). para começar a investir é preciso buscar uma instituição financeira ou corretoras de valores. 2. qual o perfil de investidor?  é indicado para investidores com um perfil entre moderado e agressivo. o investidor ao entrar nesse tipo de fundo tem que observar que o fundo realiza operações de renda fixa, renda variável e câmbio, tanto no mercado local quanto no internacional. 3. quais as  vantagens?    uma ótima vantagem desse ou de qualquer fundo é a possibilitada do investidor acessar ativos e mercados que são mais restritivos quando se pensa em investir sozinho. aqui o investidor tem a vantagem de dividir todas as taxas de administração do fundo com outros investidores.  4. como otimizar esses rendimentos ao longo de 18 anos? conheça o seu perfil. a melhor forma é aproveitar as mudanças de cenários econômicos. dessa forma, o investidor pode usufruir da menor taxa de tributação do imposto de renda fixada em 15% sobre os rendimentos dos resgates com mais de dois anos de aplicação. 5. a que o investidor precisa ficar atento?  o mais importante para qualquer investidor é comparar a rentabilidade líquida do fundo versus a inflação no mesmo período analisado para, dessa forma, saber qual é o ganho real da aplicação.
23/07/2018

Investimento na previdência privada cresce 144% nos últimos 6 anos

  o levantamento foi realizado entre 2012 e março deste ano pela fenaprevi diante da incerteza sobre o que será de sua aposentadoria, brasileiros enxergam cada vez mais a previdência privada como uma promessa de segurança no futuro. o mercado dobrou de tamanho nos últimos seis anos, conforme dados da federação nacional de previdência privada e vida (fenaprevi). as reservas aplicadas passaram de r$ 319 bilhões em 2012 para r$ 779 bilhões até final de março deste ano, quando 13,4 milhões de brasileiros já tinham seu pé de meia em algum plano pessoal de aposentadoria. aderir a esse projeto, no entanto, exige cuidados para não se frustrar. leia mais em: http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/cidades/investimento-na-previdencia-privada-cresce-144-nos-ultimos-6-anos/?chash=098bfb850bee6f77fe826ad13b82a673
23/07/2018

Conheça as funções do planejador financeiro no Brasil

  profissão está crescendo no mercado brasileiro, mas ainda precisa ser mais conhecida pela população a planejadora financeira pessoal da academia de planejamento financeiro gfai daniela mir saiu do mercado de ti (tecnologia da informação) para entrar no mundo das finanças pessoais. daniela conta que chegou ao mercado como cliente e percebeu que a profissão podia ser boa para ela. daniela faz parte dos 3.719 profissionais certificados pela planejar (associação brasileira de planejadores financeiros) — 490 deles foram aprovados em 2017, quando existiam 3.409 profissionais da área. a profissão ficou no topo da lista do ranking da jobs rated almanac, publicação que classifica os melhores empregos dos estados unidos. “era algo que eu fazia corriqueiramente, fazia em casa e ajudava amigos.  quando eu soube que pessoas faziam isso profissionalmente, eu decidi que precisava conhecer”, conta. daniela explica que saiu da empresa em que trabalhava, porque precisava de um “período sabático” para se reencontrar profissionalmente. neste período, daniela contratou um planejador financeiro, tanto para ajudar com as finanças, como para entender como o profissional trabalhava, além de fazer um curso profissionalizante. o dinheiro é um dos pontos centrais da rotina do planejador. daniela enxerga o dinheiro como uma ferramenta para a realização de sonhos e conquista de objetivos. “eu faço planejamento de vida e uso o dinheiro como uma ferramenta para viver. você precisa se conhecer, saber quais seus projetos e o que é importante para você”, explica. segundo daniela, o mapeamento do comportamento é mais importante do que a renda em si.  por mais que a profissão tenha ganhado mais espaço no mercado, daniela explica que ainda existem barreiras a serem rompidas. “hoje ainda é difícil chegar no mercado. as pessoas não enxergarem a real importância [da profissão]. muitos acham que baixar uma planilha na internet já resolve o problema do planejamento financeiro”, afirma. para daniela, ainda existe um “trabalho de formiguinha para mostrar o valor”. a planejadora financeira cfp® virgínia prestes concorda que muitos ainda desconhecem a profissão. “as pessoas ainda desconhecem a profissão, mas eu acho que as instituições financeiras estão fazendo um papel bacana, porque estão pedindo a certificação cfp®”. virginia opina que a profissão vem crescendo no mercado e que os brasileiros estão começando a entender melhor, graças à disseminação de informações e as taxas de juros mais baixas. “o trabalho do planejador financeiro vai além das finanças. a gente cuida do risco, da parte sucessória, a gente fala de seguros, de previdência, é uma gama bem ampla”, explica. para virgínia, o trabalho do planejador não deve ser olhado pelo custo que tem, mas pelo retorno financeiro. “na maioria das vezes, o custo acaba sendo retornado”, afirma. segundo as profissionais, o planejador financeiro é um profissional que pode ser contrato por qualquer pessoa. o profissional ajuda tanto as pessoas que estão com dívidas e querem quitá-las como jovens que pretendem investir pela primeira vez e pessoas mais velhas que já pensam na aposentadoria. como se tornar um planejador financeiro hoje, a maioria das instituições do mercado exigem que o planejador tenha o certificado cfp (certified financial planner), emitido pela planejar (associação brasileira de planejadores financeiros). a credencial é a mais respeitada globalmente. os pré-requisitos para conseguir o certificado são: ter nível superior, experiência de pelo menos três anos em uma área relacionada a finanças pessoais, assinar um código de ética e ser aprovado na prova da certificação. a prova possui 140 questões de múltipla escolha que abrange os temas planejamento financeiro e ética, gestão de ativos e investimentos, planejamento de aposentadoria, gestão de riscos e seguros, planejamento fiscal e planejamento sucessório. fonte: giuliana saringer, do r7
23/07/2018

Preço médio da gasolina nas refinarias cai 0,94%, para R$ 1,9426

 a petrobras anunciou que o preço médio do litro da gasolina a sem tributo nas refinarias, que entra em vigor nesta terça-feira (24) será de r$ 1,9426, indicando queda de 0,94% após permanecer em r$ 1,9611 desde 18 de julho. o preço do diesel, por sua vez, segue inalterado desde o dia 1º de junho em r$ 2,0316. a redução do preço do combustível foi uma das reivindicações dos caminhoneiros na greve feita no fim de maio.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/639695-preco-medio-da-gasolina-nas-refinarias-cai-0-94--para-r-1-9426.html)  
23/07/2018

Juros futuros se ajustam em alta em sintonia com dólar

 as taxas futuras de juros operam em alta nesta manhã de segunda-feira (23) em sintonia com o dólar. os agentes de renda fixa realizam um ajuste parcial do movimento de devolução de prêmios ocorrido na última sexta-feira (20), quando a aliança entre os partidos do centrão (pr, pp, dem, solidariedade e prb) e o pré-candidato tucano geraldo alckmin resultou em uma forte devolução de prêmios de risco em toda a curva. no trecho mais longo, as taxas chegaram a recuar até 30 pontos-base na sexta. hoje os agentes seguem de olho no noticiário político, e na cautela que predomina no exterior em meio às ameaças ao comércio global. às 9h49, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (di) com vencimento em janeiro de 2019 estava em 6,720%, de 6,705% no ajuste de sexta-feira. o di para janeiro de 2020 apontava 8,11%, de 8,06%. o di para janeiro de 2021, mais líquido, projetava 9,11%, de 9,07%. já na ponta mais longa, o di para janeiro de 2023 marcava 10,38%, de 10,33 do ajuste anterior. no câmbio, o dólar à vista subia 0,10%, aos r$ 3,7804. o dólar futuro de agosto estava em alta de 0,29%, aos r$ 3,7855. nesta manhã, o relatório de mercado focus mostrou que os economistas do mercado financeiro reduziram a previsão para o ipca de 2018. a mediana para a inflação oficial neste ano foi de 4,15% para 4,11%. há um mês, estava em 4,00%. já a projeção para o índice em 2019 permaneceu em 4,10%. quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/639694-juros-futuros-se-ajustam-em-alta-em-sintonia-com-dolar.html)
23/07/2018

Dólar se ajusta em alta com comércio global e política no radar

 o dólar opera com alta moderada no mercado doméstico nesta segunda-feira (23) após as fortes perdas na sexta-feira (20), em reação ao apoio do centrão ao presidenciável geraldo alckmin (psdb). no fim de semana, no entanto, alckmin já teve que administrar a primeira crise com o bloco partidário. na sexta, a moeda americana recuou 1,70%, para r$ 3,7768 no mercado à vista. no radar dos investidores estão ainda os sinais mistos da moeda americana frente divisas principais e emergentes ligadas a commodities, além das quedas das bolsas europeias e a falta de tração dos futuros de nova iorque em meio a expectativas por uma entrevista coletiva do presidente dos eua, donald trump, (16h15), que deve tratar da guerra comercial e o embate com o irã. trump também receberá, na quarta-feira, o presidente da comissão europeia, jean-claude juncker, na casa branca, para discutirem as relações comerciais. o ministério das relações exteriores da china afirmou nesta segunda-feira que ameaças e intimidação nunca funcionarão para resolver divergências comerciais, referindo-se à declaração de trump, na sexta-feira, de que estava pronto para tarifar todas as importações chinesas, se for necessário. o governo chinês ainda negou que usasse uma desvalorização do yuan como estratégia para impulsionar suas exportações e, nesta segunda-feira, promoveu uma valorização da moeda chinesa ante o dólar - pela primeira vez desde 11 de julho. já os preços do petróleo operam em alta, após a agência estatal do irã ter minimizado mensagem de trump com críticas ao líder iraniano, hassan rouhani. uma graduada autoridade do irã qualificou a ameaça como "guerra psicológica". nos eua, foi divulgado que o índice de atividade nacional subiu 0,43 em junho, acima da previsão (0,40), mas não houve impacto na precificação do dólar. o fed de chicago também revisou o índice de maio de -0,15 para -0,45. na política local, depois da euforia do mercado na sexta, durante o fim de semana uma declaração no twitter de alckmin contra a volta da contribuição sindical causou atrito com o centrão. o tucano se reuniu no domingo com o deputado paulo pereira da silva, o paulinho da força (solidariedade), que, na saída, colocou panos quentes e disse que o atrito estava resolvido. eles discutiram a proposta do centrão para o financiamento de centrais trabalhistas. às 9h26, o dólar à vista estava estável, aos r$ 3,7769, após abrir em alta e registrar máxima em r$ 3,7849 (+0,21%). caiu pontualmente à mínima aos r$ 3,7724 (-0,12%). o dólar futuro de agosto subia 0,21%, aos r$ 3,7810, após ter oscilado da máxima a r$ 3,7890 (+0,41%) à mínima, aos r$ 3,7760 (+0,07%).   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/639693-dolar-se-ajusta-em-alta-com-comercio-global-e-politica-no-radar.html)
23/07/2018

Instituições financeiras reduzem estimativa de inflação para 4,11%

 a projeção de instituições financeiras para a inflação voltou a cair. a estimativa para o índice nacional de preços ao consumidor amplo (ipca) caiu de 4,15% para 4,11%, segundo a pesquisa focus, publicação elaborada todas as semanas pelo banco central (bc), com projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos. essa é a segunda redução consecutiva. para as instituições financeiras, o ipca em 2019 será 4,10%, mesma estimativa de há cinco semanas, e 4% em 2020. para 2021, a projeção caiu de 4% para 3,95%. essas estimativas estão abaixo do centro da meta que deve ser perseguida pelo bc para este ano e 2019. em 2018, o centro da meta é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. para 2019, a previsão é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. para 2020, a meta é 4% e 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente). para alcançar a meta de inflação, o bc usa como instrumento a taxa básica de juros, a selic, atualmente 6,5% ao ano. para as instituições financeiras, a selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o final de 2018. para 2019, a expectativa é aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano. quando o copom aumenta a selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. quando o copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação. a manutenção da selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação. a projeção para a expansão do produto interno bruto (pib) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - foi mantida em 1,50%, neste ano. para 2019, a estimativa segue em 2,50%. as instituições financeiras também projetam crescimento de 2,50% do pib em 2020 e 2021. a previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em r$ 3,70 no final deste ano. para o fim de 2019, passou de r$ 3,68 para r$ 3,70.   jornal do comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/07/639689-instituicoes-financeiras-reduzem-estimativa-de-inflacao-para-4-11.html)
20/07/2018

Sincor-Rs e Sulamérica promovem encontro em Porto Alegre

 o novo vice-presidente comercial, andré lauzana e o diretor regional da sulamérica, gilson bochernitsan se reuniram com a diretoria do sincor-rs na última quinta-feira, 12 de julho, na capital gaúcha. no encontro, andré, gilson e os executivos da entidade comentaram sobre o crescimento econômico do rio grande do sul para os próximos anos e debateram as oportunidades de negócios para a região. lauzana ressaltou a relevância do rio grande do sul, se consolidando como o 3º estado em volume de vendas de seguros no brasil* e citou que este resultado é fruto da atuação ativa do sincor junto aos seus mais de sete mil corretores. além do crescimento, ele ainda reforçou que “temos um grande desafio para o mercado de seguros dentro deste mundo cada vez mais dinâmico e digital, onde o papel do corretor é fundamental para explorarmos as oportunidades de negócios”. entre os demais temas da reunião, o presidente do sincor-rs, ricardo pansera, ressaltou a importância da sulamérica e do sindicato continuarem a trabalhar, em conjunto, no esclarecimento aos corretores e clientes sobre a readequação de contratos de seguro de vida anteriores a 2006, tema que alcança alguns corretores do estado. *segundo apuração da susep até maio 2018, prêmios emitidos todos os ramos exceto vgbl e dpvat. fonte: sincor-rs via seguro gaucho
20/07/2018

As principais seguradoras se lançam para subscrever riscos no espaço cripto

 grandes seguradoras como a aig, allianz, chubb e xl group estão cada vez mais adaptando as opções de cobertura para proteger as empresas no espaço cripto, informa a bloomberg em 19 de julho. a aon, uma grande corretora de seguros que alega ocupar 50% do mercado de seguro de criptos, disse à bloomberg que a empresa está vendo mais proteções específicas para criptomoedas que atendem à nova indústria. outro corretor, marsh & mclennan, disse que o ano de 2018 tem sido "rápido" para as seguradoras de criptomoedas, revelando que a marsh agora formou sua primeira equipe dedicada a políticas de corretoras para startups de blockchain. as fontes da bloomberg dizem que os prêmios para as empresas relacionadas à criptomoedas podem representar mais de cinco vezes os custos médios de cobertura de uma apólice de seguro corporativa tradicional, às vezes chegando a 5% dos limites de cobertura anualmente. as políticas podem exigir que “até uma dúzia de subscritores” consigam us $ 5-15 milhões de proteção cada um. estes são altos prêmios para o que são percebidos como sendo de alto risco, discutivelmente discutidos no início deste ano com o roubo sem precedentes de us $ 532 milhões em criptomoedas do coincheck da bolsa japonesa. as grandes seguradoras parecem relutantes em revelar a extensão da cobertura oferecida. bloomberg cita uma declaração da chubb que disse que a empresa não irá subscrever seguro para trocas de cripto ou carteiras. a xl também cobriu detalhes específicos, dizendo apenas que está "tomando cuidado ao analisar esses riscos e analisá-los caso a caso". mesmo recusando-se a divulgar a soma dos prêmios relacionados à criptos que assumiu até agora, a american international group confirmou que a empresa se reuniu com cripto-custodiantes e plataformas de negociação sobre proteção. christian weishuber, da allianz, declarou que acredita que "o seguro para armazenamento em criptomoedas será uma grande oportunidade ... os ativos digitais estão se tornando mais relevantes, importantes e predominantes ... e estamos explorando opções de produtos e cobertura nessa área". allianz já começou a oferecer cobertura individual para roubo de criptomoedas no ano passado. entre os principais participantes da indústria de criptos, a coinbase, empresa norte-americana de serviços de câmbio e carteira, garante fundos armazenados em carteiras quentes - que representam até 2% dos ativos dos clientes -, mas não revela até que ponto sua cobertura se estende. notavelmente, a própria tecnologia que sustenta as criptomoedas, blockchain, está sendo cada vez mais considerada como uma solução para inovar a própria indústria de seguros, com a marsh recentemente firmando parceria com a ibm em sua primeira solução blockchain comercial para provas de seguro.

União Seguradora fecha o ano com novos negócios


14/12/2018
A União Seguradora recebeu a Uperformance Assessoria & Consultoria em Seguros em sua sede em Porto Alegre. O diretor comercial João Lock, Antônio Coutinho, técnica, e Marco Rocha, comercial, receberam Domingos Costa, Ailton Lopes e Estela De Moura Rey para iniciar uma parceria com prospecção de novos negócios. Segundo os participantes, a reunião foi produtiva em ideias que, com certeza, confirmam o sucesso dessa parceria para 2019. O diretor João Lock e sua equipe agradecem a visita da Uperformance e encerram o ano com excelentes perspectivas.

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989