28/04/2016

Confiança do setor de seguros sobe 12,8% em abril com cenário político

  índice alcança 83,4 pontos, o maior nível desde dezembro de 2014 rio - o índice de confiança do setor de seguros (icss) cresceu subiu 12,8% em abril, de acordo com pesquisa da federação nacional dos corretores de seguros privados e de resseguros, de capitalização, de previdência privada, das empresas corretoras de seguros e de resseguros (fenacor). esta é a segunda alta consecutiva do indicador, que chegou a 83,4 pontos, a maior média desde dezembro de 2014. segundo o presidente da entidade, armando vergilio, o nível pode ultrapassar os 100 pontos — patamar a partir do qual indica otimismo no setor — em dois meses se o cenário político continuar apresentando mudanças. “abril foi um mês de eventos marcantes no cenário político nacional, como a votação do impeachment na câmara dos deputados, e a economia tende a se aquecer na expectativa de soluções de médio prazo”, afirmou. o índice avalia o grau de confiança e as expectativas do mercado com base na consulta de 100 grandes empresas do setor. cada companhia, entre seguradoras, corretoras e resseguradoras, indicam percentuais de 0 a 200 para a confiança na economia, rentabilidade e faturamento de acordo com a entidade, 83% das resseguradoras, 68% das corretoras e 51% das seguradoras esperam um crescimento da economia pior ou muito pior nos próximos seis meses. com relação à rentabilidade do setor de seguros, 75% das resseguradoras estão otimistas. as resseguradoras estão otimistas em relação à rentabilidade do setor pelos próximos seis meses: 75%. entre as demais empresas, as seguradoras esperam melhora de 51% e as corretoras, de 56%. leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/confianca-do-setor-de-seguros-sobe-128-em-abril-com-cenario-politico-19191817#ixzz47duhnn4e fonte: o globo
13/04/2016

Susep muda norma para transferência de carteiras

 a susep alterou as normas vigentes para a transferência de carteira integral ou parcial entre as seguradoras, sociedades de capitalização e as entidades abertas de previdência complementar. segundo a circular 534/16, publicada nesta segunda-feira (11/04), a partir de agora, a sociedade ou entidade cedente deverá acostar ao processo administrativo os formulários definidos no site da susep, na seção “orientações de normativos/capital mínimo requerido/transferência de carteira”, preenchidos de acordo com as orientações ali contidas e as características da carteira transferida, para fins de cálculo do capital mínimo requerido. os arquivos eletrônicos desses formulários deverão ser encaminhados para a autarquia – através do correio eletrônico diris.rj@susep.gov.br – tendo como assunto o número do processo administrativo de transferência de carteira. após a realização da transferência, a sociedade/entidade cessionária deverá encaminhar à susep os dados históricos da carteira recebida, na forma disposta na regulamentação, para fins de ajustes no cálculo do capital mínimo requerido das empresas envolvidas. no caso de operações de seguros e previdência complementar aberta, a carta poderá ser emitida com a utilização de meios remotos nos termos da regulamentação vigente. fonte:  c q c s
07/04/2016

Aportes à previdência aberta sobem 24,3% em janeiro, diz FenaPrevi

 os aportes a planos previdenciários abertos (que incluem os pgbls e os vgbls) somaram r$ 6,3 bilhões em janeiro, crescimento de 24,3% frente ao mesmo mês do ano anterior. os aportes a planos previdenciários abertos (que incluem os pgbls e os vgbls) somaram r$ 6,3 bilhões em janeiro, crescimento de 24,3% frente ao mesmo mês do ano anterior. a captação líquida no primeiro mês do ano, diferença entre captação e resgates, registrou saldo positivo de r$ 1,7 bilhão, ante r$ 1,5 bilhão em janeiro de 2015, segundo informou a federação nacional de previdência privada e vida (fenaprevi), que representa 69 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país. "mesmo com a economia em situação difícil, os participantes do sistema seguem fazendo reservas para a aposentadoria, o que mostra que a previdência complementar aberta segue ocupando papel de destaque no investimento de longo prazo dos brasileiros", diz em nota o presidente da fenaprevi, edson franco. segundo a fenaprevi, o sistema registrou em janeiro um total de 85.516 pessoas já usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios por morte e por invalidez, e pensões por morte e por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário. no período, foram contabilizados um total de 12.271.620 pessoas com planos contratados, sendo que deste total 9.241.272 são individuais (já computados os planos para menores) e 3.030.348 empresariais. os planos individuais foram os que mais receberam recursos no primeiro mês do ano. no total, foram investidos r$ 5,5 bilhões, frente a r$ 4,3 bilhões registrados em janeiro de 2015. os planos para menores, por sua vez, acumularam r$ 152,5 milhões, alta de 15% em relação ao mesmo mês do ano anterior (r$ 132,6 milhões). os recursos destinados a planos empresariais avançaram 6,7% no mês e somaram r$ 627 milhões em contribuições em janeiro. o vgbl (indicado para quem não tem como se beneficiar da dedutibilidade fiscal prevista no formulário completo do imposto de renda pessoa física), recebeu contribuições de r$ 5,7 bilhões em janeiro. o pgbl (indicado para quem tem como se beneficiar da dedutibilidade do ir) registrou r$ 558 milhões. os planos tradicionais, por sua vez, anotaram r$ 63 milhões. fonte: estadão
07/04/2016

Investidores aplicam mais em previdência privada aberta

 os aportes a planos abertos de caráter previdenciário (que incluem os pgbls e os vgbls) somaram r$ 6,3 bilhões no primeiro mês do ano, registrando crescimento de 24,3% frente ao mesmo mês do ano anterior, quando foram aplicados r$ 5,1 bilhões. no mês de janeiro, a captação líquida, diferença entre captação e resgates, por sua vez, registrou saldo positivo de r$ 1,7 bilhão. no mesmo mês do ano anterior o saldo foi de r$ 1,5 bilhão. os dados são da fenaprevi (federação nacional de previdência privada e vida), que representa 69 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país. “mesmo com a economia em situação difícil, os participantes do sistema seguem fazendo reservas para a aposentadoria, o que mostra que a previdência complementar aberta segue ocupando papel de destaque no investimento de longo prazo dos brasileiros”, diz edson franco, presidente da fenaprevi. os dados do balanço da fenaprevi mostram também que o sistema registrou em janeiro um total de 85.516 pessoas já usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios, por morte e por invalidez, e pensões, por morte e por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário. no período, foram contabilizados um total de 12.271.620 pessoas com planos contratados, sendo que deste total 9.241.272 são pessoas com planos individuais (já computados os planos para menores) e 3.030.348 pessoas com planos empresariais. resultado por tipo de plano os planos individuais foram os que mais receberam recursos no primeiro mês do ano. no total, foram investidos r$ 5,5 bilhões, enquanto que no ano anterior foram registrados r$ 4,3 bilhões. os planos para menores, por sua vez, acumularam r$ 152,5 milhões, alta de 15% em relação ao mesmo mês do ano anterior (r$ 132,6 milhões). os recursos destinados a planos empresariais também avançaram e somaram r$ 627 milhões em contribuições em janeiro de 2016, representando crescimento de 6,7% em relação aos r$ 588 milhões arrecadados em janeiro de 2015. na análise por modalidade de plano, o vgbl (indicado para quem não tem como se beneficiar da dedutibilidade fiscal prevista no formulário completo de i.r.p.f.), recebeu contribuições de r$ 5,7 bilhões em janeiro de 2016. o pgbl (modalidade de plano indicada para quem tem como se beneficiar da dedutibilidade prevista no formulário completo de i.r.p.f.) registrou r$ 558 milhões. os planos tradicionais, por sua vez, registraram r$ 63 milhões. o tratamento fiscal a opção por planos de caráter previdenciário deve considerar e priorizar uma visão de longo prazo, dada a tributação diferenciada para o poupador. no pgbl, modalidade de plano indicada para quem declara o imposto de renda (ir) pelo formulário completo, o poupador pode deduzir anualmente da base de cálculo do tributo, o valor total das contribuições efetuadas a planos de previdência complementar, durante o exercício social, até o limite de 12% da sua renda bruta, reduzindo o imposto a pagar ou, até mesmo, podendo ter direito à restituição. é o chamado diferimento fiscal, ou seja, o pagamento do ir devido sobre esses recursos, acrescidos dos rendimentos auferidos, é realizado apenas no momento do resgate total ou parcial, ou do recebimento do benefício. para usufruir da dedução, o participante da previdência complementar aberta tem de estar contribuindo para a previdência oficial, inclusive no caso do titular, com mais de 16 anos, ser dependente de quem faz a declaração. já no vgbl, modalidade de plano indicada para quem declara o imposto de renda pelo formulário simplificado, para quem se encontra na faixa de isenção do ir, ou para quem já atingiu o limite de dedução previsto para a previdência complementar (12% da renda bruta), não é possível deduzir da base de cálculo do ir os valores dos aportes realizados ao plano. no entanto, no momento do resgate ou do recebimento do benefício, o ir incide apenas sobre o valor dos rendimentos auferidos, e não sobre o valor total do resgate ou do benefício recebido, como ocorre no pgbl. de acordo com o presidente da fenaprevi, é importante destacar que, para ambas as modalidades de planos (pgbl e vgbl), não há cobrança do imposto de renda a cada seis meses, sobre os rendimentos obtidos, como ocorre em alguns tipos de aplicações. outra característica do pgbl e do vgbl é a possibilidade do poupador optar pelo regime de alíquotas progressivas ou de alíquotas regressivas do imposto de renda, significando, neste último caso, que, quanto mais tempo os recursos permanecerem aplicados, menor será a alíquota do imposto de renda incidente. fonte: investimentos e notícias por nicole ongaratto
07/04/2016

Índice de Confiança do Setor de Seguros cresce 10,2% em março

 rio - o índice de confiança do setor de seguros (icss) avançou 10,2% em março, de acordo com pesquisa da federação nacional dos corretores de seguros privados e de resseguros, de capitalização, de previdência privada, das empresas corretoras de seguros e de resseguros (fenacor). o icss ultrapassou o patamar de 70 pontos pela primeira vez desde julho de 2015, a 73,9. apesar do avanço, o índice ainda é considerado muito baixo, pois é inferior a 100 pontos, patamar mínimo para indicar confiança no setor. das empresas consultadas, 72% das seguradoras; 66% das corretoras e 54% das resseguradoras esperam um crescimento da economia pior ou muito pior, no brasil, pelos próximos seis meses. apenas as resseguradoras ouvidas na pesquisa da fenacor se mostraram positivas com relação à rentabilidade no período: 62%. as seguradoras esperam melhora (54%) e, em sentido contrário, 60% das corretoras indicam que o cenário pode piorar no período. já com relação ao faturamento, 52% das seguradoras; 52% das corretoras e 62% das resseguradoras esperam a manutenção ou melhora dos índices nos próximos seis meses. tal resultado é superior ao registrado em fevereiro: 46%, 50% e 54%, respectivamente. — março foi um mês agitado na política nacional. a expectativa da definição de impasses políticos no país em um futuro próximo pode ter influenciado as respostas de algumas companhias do setor — aponta o presidente da fenacor, armando vergilio. segundo a federação, o setor aguarda definições da economia da política nacional para marcar a retomada de suas expectativas positivas. nos últimos seis meses, o cenário foi de pequenas oscilações e queda. para calcular o índice, a entidade entrevista executivos de mais de 100 companhias do setor a fim de avaliar a expectativa e o grau de confiança dos empresários diante do cenário econômico. as empresas avaliam a situação em uma escala de 0 a 200 para a confiança na economia, rentabilidade e faturamento. fonte: extra - globo
29/03/2016

Cerimônia de outorga da Medalha Cidade de Porto Alegre

 na noite da segunda-feira (28), em cerimônia ocorrida no teatro renascença em porto alegre, o presidente do grupo aspecir seguros e previdência, milton machado, recebeu a medalha cidade de porto alegre. a medalha premia pessoas ou entidades que tenham se distinguido por relevantes serviços prestados em prol do cultural, social ou econômico da cidade.
28/03/2016

Milton Machado recebe medalha Cidade de Porto Alegre

 instituída pelo decreto municipal 6.202, de 25 de novembro de 1977, a medalha “cidade de porto alegre” já homenageou importantes personalidades, como o jornalista alberto andré, um dos fundadores da ari (associação rio-grandense de imprensa). concebida pelo artista plástico nelson jungbluth, a medalha traz em sua arte motivos ligados aos valores da pessoa e da natureza. a medalha premia pessoas ou entidades que tenham se distinguido por relevantes serviços prestados em prol do cultural, social ou econômico da cidade. na edição deste ano, a lista de homenageados tem 30 nomes, entre os quais o do senhor milton machado, diretor presidente do grupo aspecir. um exemplo dessas pessoas que caminham em direção ao futuro sempre com o objetivo de crescimento, não apenas individual, mas da comunidade onde vive. brasileiro nascido em são jerônimo, casado com terezinha oliveira machado, pai de júlio e daniellen iniciou sua caminhada profissional no montepio cooperativista do brasil, hoje unimed seguradora s.a. foi conselheiro, presidente do conselho e diretor presidente de gebemil, atual mbm seguradora s. a. passou pela família bandeirante previdência privada nos cargos de conselheiro, diretor executivo e diretor presidente. assim como na acvat previdência privada, sucv união de previdência e união de previdência s/a. diretor da anapp associação nacional da previdência privada, hoje fenaprevi – federação nacional de previdência privada e vida, presidente do sindepp/rs-sindicato das entidades de previdência privada no estado do rio grande do sul, vice-presidente do sinapp-sindicato nacional das entidades abertas de previdência complementar, milton machado é hoje diretor presidente do grupo aspecir. composto por empresas como aspecir previdência, união seguradora s/a, futuro previdência, acvat e socicred, o grupo aspecir tem como prioridade previdência, seguros e assistência financeira. milton machado também é sócio gerente da milpar participações ltda, através da qual é gestor do esporte clube são josé. onde oferece, através da disciplina do esporte, a oportunidade de jovens vislumbrarem um futuro de sucesso. a cerimônia de entrega da medalha “cidade de porto alegre”, faz parte das comemorações da semana de porto alegre e ocorre hoje, dia 28 de março, às 20h, no teatro renascença (av. érico veríssimo, 307).
28/03/2016

Segurada da União recebe prêmio de capitalização

 a união seguradora, empresa do grupo aspecir, oferece além do seguro de vida um plano de capitalização vida flex. o segurado optando por este plano, concorre todos os sábados através da extração da loteria federal a uma premiação. a felizarda desta vez foi a senhora adriana de barcellos serra. o cheque foi entregue pelas mãos do diretor comercial da união seguradora, joão lock, na tarde desta segunda-feira, 28 de março. presentes ao evento, representando a união seguradora, estavam antônio nazario coutinho da área técnica e joão carlos lock, diretor comercial. a premiada senhora adriana de barcellos serra, o gerente de negócios do servicoop, cristiano costa, o diretor da benefícios maurício junqueira e o diretor jurídico da servicoop andre luiz meira.
02/03/2016

Setor de seguros reduz faturamento, mas deve crescer 9% Em 2016

 a edição de fevereiro da carta de conjuntura do setor de seguros, publicação mensal assinada pelo sincor-sp (sindicato dos corretores de seguros no estado de são paulo), com um mapeamento da indústria de seguros, fechou os dados referentes ao ano de 2015. o resultado, como as edições anteriores antecipavam, é uma redução no faturamento do setor, que, sem contabilizar previdência privada e saúde suplementar, cresceu 5% em 2015, em termos nominais. trata-se de valor bem abaixo do exercício anterior, que registrou variação positiva de 10%. a projeção para 2016, contudo, é de crescimento de 9%. esse valor tem como lastro a dinâmica da própria economia, o histórico do setor e, sobretudo, o perfil de solidez e desenvolvimento que sempre caracterizou a indústria de seguros. para o presidente do sincor-sp, alexandre camillo, se os números da economia apontam para um cenário adverso que deve se prolongar por mais um ou dois anos, em contrapartida os corretores de seguros têm dado provas incontestes de sua capacidade de reação e resiliência. “os corretores de seguros têm plena consciência da necessidade de buscar novos nichos e rever custos, além de reinventar os negócios com base em diretrizes de retorno e sustentabilidade”, afirma. fonte:  sincor sp

União Seguradora fecha o ano com novos negócios


14/12/2018
A União Seguradora recebeu a Uperformance Assessoria & Consultoria em Seguros em sua sede em Porto Alegre. O diretor comercial João Lock, Antônio Coutinho, técnica, e Marco Rocha, comercial, receberam Domingos Costa, Ailton Lopes e Estela De Moura Rey para iniciar uma parceria com prospecção de novos negócios. Segundo os participantes, a reunião foi produtiva em ideias que, com certeza, confirmam o sucesso dessa parceria para 2019. O diretor João Lock e sua equipe agradecem a visita da Uperformance e encerram o ano com excelentes perspectivas.

Praça Otávio Rocha, 65 - 1º andar
Centro Histórico - Porto Alegre/RS
CEP.: 90020-140
+55 (51) 3228.1999

News

Receba nossas novidades

LIGUE

+55 51 3228-1999

Ouvidoria
0800 703 1989
E-mail: ouvidoria@sinapp.org.br

Atendimento ao Deficiente Auditivo e de Fala através da TSPC-CAS – Central de
Atendimento a Deficientes Auditivos ou de Fala -
0800 200 0819 E-mail: sac.especial.auditivo.fala@sinapp.org.br

Atendimento ao
Deficiente Visual
0800-703-1989